segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Presente das Trevas...


Programa de “Direitos Humanos” de Lula traz aborto e “casamento” gay às vésperas do Natal. Enquanto a população e o Congresso Nacional estão ocupados e distraídos com a estação do Natal e reuniões de família, governo Lula dá um presente para o Brasil.

Em 21 de dezembro de 2009, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou o 3º Programa Nacional de Direitos Humanos, um documento de 121 páginas que faz as seguintes recomendações:

Criação de mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos — como o crucifixo ou a Bíblia — em estabelecimentos públicos.


Inclusão no currículo escolar do ensino da “diversidade religiosa”, com destaque especial para as religiões afro-brasileiras como o candomblé.


Criação de uma comissão para investigar os “crimes” cometidos durante a ditadura militar, transformando comunistas armados e mortos em “heróis” e transformando os militares em criminosos.


Modificação do Código Penal para garantir a “descriminalização do aborto”.


Defesa de projeto de lei que regulariza o “casamento” de casais homossexuais.


Grupos homossexuais, abortistas, comunistas e religiosos afro-brasileiros estão comemorando o lançamento do 3º Programa Nacional de Direitos Humanos.

Com o aborto e o “casamento” homossexual sendo tratados oficialmente como “direitos humanos”, a população tem o que para comemorar?

Numa sociedade ideal, a defesa da vida dos bebês em gestação seria considerada fundamental. A proteção ao casamento natural contra ameaças à sua existência seria igualmente vista como vital.

Contudo, um governo pervertido insiste em inverter tudo.

Direitos humanos agora viraram desculpa para matar bebês inocentes por meio de leis de aborto.

Direitos humanos agora viraram desculpa para permitir o casamento de dois seres cuja sexualidade não tem nenhuma função e valor para a família e para a sociedade. Pelo contrário, com o reconhecimento da disfunção homossexual como merecedora de “casamento”, crianças serão entregues em adoção diretamente na boca dos leões.

Direitos humanos agora viraram desculpa para apoiar, defender e promover o crime e os criminosos.

No Reino Animal, os animais protegem seus filhotes dos predadores. No mundo humano, as crianças estão sendo entregues ao aborto e as que sobreviverem serão entregues aos predadores homossexuais, com as desculpas mais elegantes do governo de Herodes, que tem sede de sangue.

Na calada da noite, o criminoso de máscara tira vantagem da desatenção da vítima, pegando-a de surpresa e dando-lhe pouca oportunidade de reação. Na euforia dos feriados, bem às vésperas da comemoração do nascimento do Salvador Jesus Cristo, o governo Lula entrega para a desprevenida população brasileira seu presente de aborto e “casamento” homossexual.

Verdadeiramente, um presente de Herodes. Verdadeiramente, um Presente das Trevas.

Por: Julio Severo

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O que é o Natal?



Correrias, trocas de presentes,cartões,ceias,árvores armadas com bolas coloridas,etc...Natal é mais do que isso!
Natal é Justiça...Seja justo com seu semelhante.
Natal é Esperança e Luz...acenda sua candeia,alguém precisa.
Natal é Salvação e Perdão...esqueça o mal.
Natal é União e Humildade...reconcilie-se com o seu próximo.
Natal é Semear alegria...procure alguém e diga:Você é importante para mim!
Natal é...dom de ajuda aos pobres.
Natal é...encontro,procure os amigos.
Natal é...graça,arrepender-se dos pecados.
Natal é...verdade,reflita sobre seus erros.
Dessa forma você estará presenteando o Maior Aniversariante:
Jesus Cristo!

Há muito tempo lá em Belém

"Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal:A virgem conceberá e dará a luz a um filho e o seu nome será Emanuel"(isaias 7.14)

Na noite de Natal,enquanto muitos esperam um "bom"velhinho entrar pela chaminé de suas casas às escondidas no meio da madrugada,nós sabemos que nessa data,Aquele que é a própria Luz já entrou e fêz morada em nossos corações,não como um intruso mas como um Amigo,um Conselheiro que está presente 365 dias do ano e não apenas no 25 de dezembro.
Amado leitor: Que o seu coração transborde de Alegria,Paz,Amor e principalmente possa produzir bons frutos para que o Senhor permaneça em você e você nEle.

Ótimo Natal a todos.

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

IGREJA ROMANA DA IRLANDA ENCOBRE ABUSOS SEXUAIS DE PADRES CONTRA CRIANÇAS POR 40 ANOS



A Igreja Católica da Irlanda encobriu abusos sexuais de padres contra crianças da região da capital, Dublin, durante 40 anos, segundo um relatório oficial publicado nesta quinta-feira (26/11). Segundo o documento, as autoridades deram cobertura aos abusos.

Com 700 páginas, o documento, que cobre a Arquidiocese de Dublin, foi elaborado por uma comissão presidida pela juíza Yvonne Murphy e foi apresentado com uma série de cortes para não levar a prejulgamentos.

O arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin, pediu desculpas e expressou seu "pesar e vergonha" pelo encobrimento dos abusos.

Segundo o religioso, o documento evidencia "os devastadores efeitos" que tiveram os fracassos do passado e considerou que "não há margem de manobra para cair no revisionismo sobre as normas e procedimentos adotados".

"Ofereço a cada um dos sobreviventes minhas desculpas, pena e vergonha. O fato de que os abusadores eram sacerdotes é uma afronta. Nenhuma palavra de desculpa será suficiente", acrescentou o arcebispo.

O governo irlandês pediu desculpas por seu "fracasso" em proteger as crianças e afirmou que "isso não voltará nunca a acontecer".

Relatório

A conivência entre a hierarquia eclesiástica e as autoridades do Estado, entre elas a própria polícia e a procuradoria, serviu, diz o texto, para encobrir os esforços de quatro bispos de Dublin em manter o prestígio da Igreja, proteger os pedófilos e evitar escândalos.

O relatório, resultado de três anos de investigações, afirma que a política e táticas de ocultação da Igreja podem ser resumidas na frase "não pergunte, não fale".

"A comissão não tem dúvida alguma que o abuso sexual clerical foi encoberto pela arquidiocese de Dublin e por outras autoridades da Igreja. As estruturas e regras da Igreja Católica facilitaram esse encobrimento", explica o texto.

"As autoridades do Estado facilitaram o encobrimento ao não cumprir suas obrigações e garantir que a lei fosse aplicada a todos por igual, o que permitiu que as instituições da Igreja se mantivessem fora do alcance do processo legislativo normal", acrescentou.

A comissão investigadora da arquidiocese de Dublin examinou as acusações de 450 pessoas apresentadas contra 46 sacerdotes por fatos ocorridos entre 1975 e 2004, assim como a gestão do escândalo por 19 membros da hierarquia católica, entre eles o cardeal Desmond Connell.

O cardeal chegou a ir aos tribunais para impedir a entrega de 5 mil documentos arquivados durante seu exercício à frente da arquidiocese, pedido que foi negado.

Quando abordou as denúncias de maus-tratos sexuais, Connell estabeleceu em duas ocasiões julgamentos secretos sob os termos da lei canônica, segundo o relatório.

Embora a comissão não tenha encontrado provas da existência de uma rede organizada de pedofilia na arquidiocese, detalhou vários casos tão estarrecedores quanto os do "relatório Ryan", de maio.

Um sacerdote, por exemplo, admitiu ter cometido abusos sexuais contra mais de 100 menores, enquanto outro confessou que, durante o exercício de mais de 25 anos de ministério, abusava de menores a cada "duas semanas".

Em outra instância, o relatório denuncia que a polícia irlandesa levou 20 anos para apresentar acusações contra um sacerdote.

Em maio passado, um relatório semelhante já havia revelado abusos físicos e psíquicos contra milhares de crianças em centros educativos públicos administrados pela Igreja.


Fonte:g1

Nota do editor: Na verdade, há um "pequeno" desvio aqui, o próprio termo pedofilia é um erro, já que provém do grego (paedophilia) παιδοφιλια < παις (que significa “criança”) e φιλια ( ‘amizade’; ‘afinidade’; ‘amor’, ‘afeição’, ‘atração’), ou seja, amor por crianças. E já que estamos no Brasil o termo mais correto seria pervesãofilia.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Deus não é servo.Deus é Deus!



Ando muito entristecido com algumas coisas que vejo por aí. Isso não é novidade e não sou o único. O respeito para com Deus acabou faz muito tempo (isso não é necessário dizer!) mas o que mais me incomoda é que até mesmo dentro das igrejas isso tem acontecido. Já não se vê tanta reverência como antigamente (e olha que não sou tão velho assim).

Não quero aqui acusar ou julgar ninguém. O que pretendo é apenas externar minha revolta e tristeza diante de tantos absurdos que andam acontecendo. É claro, sou homem e como tal estou sujeito aos mesmos erros.
Uma das coisas que mais me deixa indignado nos dias atuais é o fato de as pessoas – e eu digo isso me referindo a líderes religiosos – acharem que Deus é seu servo. Ou seja: Deus tem que me dar um carro/uma casa/uma esposa/um emprego/etc… Ah, se Deus não fizer eu paro de ir à igreja(!). Meu Deus, quanta aberração!

Deus abençoa sim aos seus filhos e nisso Ele tem grande prazer. Entretanto existem princípios para isso, e princípios devem ser observados, seguidos. Quer um exemplo bem prático? Vamos lá!

No capítulo 6 de Mateus, na primeira parte do versículo 33, Jesus conversando com seus discípulos os exortava exatamente sobre isto, dizendo: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça…”. No contexto deste relato vemos que o Senhor estava os orientando a respeito das inquietações da vida. Certamente havia no meio deles alguém preocupado com as contas a pagar, com os problemas cotidianos. Coisa normal de qualquer ser humano, mas o ponto crucial desta mensagem é justamente isso: crer que ao se viver uma vida de comunhão com Deus, buscando sempre em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, o próprio Deus se encarrega de cuidar de nossa vida. Quero dizer com isso que ao se buscar uma vida com Deus, devo cruzar os braços e esperar as coisas acontecerem?

De maneira alguma, seria loucura eu incentivar tal coisa ou qualquer pessoa se dispuser a fazê-la. O que o Senhor nos ensina aqui é que eu não preciso brigar com Deus para obter algo, fazer chantagem emocional, ameaçá-Lo ou seja lá o que for mas ao contrário, tão somente ter uma vida de comunhão com Deus. Note bem que o Senhor Jesus ao se referir ao reino de Deus de imediato afirma que juntamente com este devemos buscar também sua justiça.

Trocando em miudos: o reino de Deus beneficia a mim, a justiça de Deus, aos que estão ao meu redor. Não adianta eu ter um viver santo com Deus, beneficiando somente a mim mesmo, se tenho agido injustamente com meus irmãos, amigos, vizinhos…

Já ví e ouvi vários pregadores, das mais diversas denominações pregarem mensagens baseadas neste versículo. Uma mensagem mais bonita que a outra. As pessoas se emocionam, choram mas todos, eu disse TODOS, se atêm somente na última parte do versículo, onde diz que todas as coisas nos serão acrescentadas. Mas quais são aqueles que estão dispostos a terem uma vida de compromisso, pagando o preço de seguir a Deus fielmente e, sempre, em primeiro lugar, buscar a Deus sobre todas as coisas? É aí onde o sapato aperta.

Tá afim de ser abençoado? Cansado de se preocupar com as situações da vida e não ver uma solução? Quer de fato viver uma vida próspera e cheia de bençãos para contar? Pague o preço! Mas que preço?

“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33

Ou prefere chantagear a Deus e correr o risco de, além de não conseguir a vitória, ficar de fora de Seu reino? Lembre-se: você sem Deus é nada, Deus sem você… continua sendo Deus!

Faça uma análise de sua vida, de seus atos e atitudes. Veja se o erro para tanto problema está em Deus ou em você mesmo.

Um grande abraço no amor d’Aquele que nos amou em primeiro lugar.




Fonte: Sem forma

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

"Onde está o teu irmão?" - O descaso dos crentes egoístas com os necessitados...




“Onde está o teu irmão?”
“Não sei. Será que eu sou o guarda do meu irmão?” (Gênesis 4.9)



Há centenas de anos, o Senhor Deus perguntou a Caim: “Onde está o teu irmão?”. Mais tarde, as palavras podiam ser repetidas aos filhos de Jacó. O Senhor podia ter perguntado a Simeão, Rubem e Judá: “Onde está o vosso irmão José?” Ao longo da Bíblia, o Senhor podia ter perguntado a muita gente pelos seus irmãos. Por exemplo, Ele podia ter feito essa pergunta aos sete filhos de Jessé “onde está o vosso irmão Davi?”. Certamente, a resposta seria sempre a mesma: “Não sei. Será que eu sou o guarda do meu irmão?”.



O Senhor, hoje, ainda continua a fazer essa pergunta a cada um de nós: “Onde está o teu irmão?” Só que nós também respondemos: “Não sei. Será que eu sou o guarda do meu irmão?”.



E continuamos: “Tu que devias saber, Senhor. Eu não sei do meu irmão. Eu o vi, por acaso, há duas semanas no culto. Ele mal aparece, como é que posso saber dele? Vai lá procurá-lo, Senhor. Ele não tem aparecido, mas toca o coração dele para que venha. Envia os Teus anjos para despertá-lo…”



Esse tem sido o maior problema do cristão no tratamento dado aos fracos, aos excluídos, aos trôpegos e aos afastados da igreja. A cada dia, as pessoas têm esquecido a chave do avivamento – a oração – e do porta-chaves dessa chave – o amor. Muitas vezes a nossa oração não é ouvida porque o nosso coração está indiferente ao nosso irmão. O Senhor pergunta-nos “onde está o teu irmão?” e nós respondemos “não sei”.




Reitero como é comum darmos a mesma resposta de Caim quando somos indagados sobre o nosso irmão: “Não sei”. Já não há amor ao próximo e oração intercessora suficiente para compartilhar com o outro. Muitos esbanjam um currículo invejável, uma acervo de dons espirituais diferenciado, uma “santidade” quase palpável e visível, mas se esquecem de acolher aos fracos, doentes e necessitados (aqueles “órfãos e viúvas” que a Bíblia tanto fala).



Certa vez, meu professor de Filosofia disse que os cristãos tinham essa vida de “irmão” quando estavam dentro dos templos, onde ricos e pobres saudavam uns aos outros e se confraternizavam. Mas era só o culto terminar que ninguém se lembrava mais do vizinho. As desigualdades voltavam à tona. Infelizmente isso é fato. A igreja deve voltar a ter o amor acolhedor característico da igreja primitiva (Atos 2.44-47).



Se as pessoas não arrancarem o egoísmo dos seus corações, se continuar havendo uma desigualdade e desunião entre os crentes, se dissensões banais serem a tônica da práxis cristã enquanto os necessitados são marginalizados, se, em suma, houver falta de amor e compaixão a ponto de ser dito “Não sei do paradeiro do meu irmão”, o Senhor permanecerá desgostoso com tamanha ingratidão para com Ele, que nos proporcionou um amor acima da capacidade afetiva humana, oferecendo Jesus pelos nossos pecados.



"Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros." (I João 4 .11)



A-BD

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

A Aposta dos Sentimentos Ruins ...




Certa vez, os piores sentimentos que existem apostaram entre si qual deles seria capaz de tomar o lugar da Felicidade que vivia numa casa de família.
O primeiro sentimento a tentar foi a Solidão, porém, em poucos minutos ela saiu de lá, muito decepcionada com seu próprio fracasso.
Mas, não contou para os outros sentimentos o que a levou a fracassar.
O próximo a tentar foi a Tristeza, mas, antes de bater à porta, espiou pela janela e desistiu. Ela também não contou nada para os outros.
O Desespero, a Ansiedade, o Ódio e a Culpa também fracassaram e, igualmente, nada contaram.
Um dia, quando a família saiu para passear com a Felicidade, a Curiosidade e o Atrevimento invadiram a casa, para tentar descobrir porquê nenhum sentimento ruim conseguia entrar ou permanecer ali.
Eles pensavam que iam poder xeretar à vontade, mas levaram um susto muito grande, pois, a casa não estava vazia, o Amor estava lá, cuidando de tudo.
Os dois saíram correndo e gritando:
- É o Amor! O Amor vive nesta casa.
- Desistam, pois onde mora o Amor a Felicidade mora junto e não sobra lugar para nenhum sentimento ruim.

O Amor Jamais Acaba... Icorintios 13.8

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo


Pb.Altino G.Elerth

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Nomes esquisitos de igreja...parte 2




Lembra da parte 1?satisfeito?não?
Então deleite-se pois tem muito mais. he he he


ASSEMBLEIA DE DEUS CANELA DE FOGO
ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA FIEL ATÉ DEBAIXO D’ÁGUA
COMUNIDADE ARQUEIROS DE CRISTO
COMUNIDADE DO CORAÇÃO RECICLADO
COMUNIDADE PORTA DAS OVELHAS
CONGREGAÇÃO ANTI-BLASFÊMIAS
CONGREGAÇÃO PASSO PARA O FUTURO
CRUZADA DO PODER PLENO E MISTERIOSO
CRUZADA EVANGÉLICA DO PASTOR WALDEVINO COELHO, A SUMIDADE
IGREJA A CHAVE DO ÉDEN
IGREJA A ESCOLHIDA
IGREJA A SERPENTE DE MOISÉS, A QUE ENGOLIU AS OUTRAS
IGREJA AVE CÉSAR
IGREJA A VIDA É SUA
IGREJA A VOZ DA PEDRA ANGULAR
IGREJA A VOZ DIRETA DO ÉDEN
IGREJA ABASTECEDORA DE ÁGUA ABENÇOADA
IGREJA ABOMINAÇÃO À VIDA TORTA
IGREJA ABRE-TE SÉSAMO
IGREJA ARQUEIROS DE CRISTO
IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS BOTAS DE FOGO ARDENTES E CHAMUSCANTES
IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS CAPRICHOSOS NA OBRA DE DEUS
IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS DO PAPAGAIO SANTO QUE ORA A BÍBLIA
IGREJA AUTOMOTIVA DO FOGO SAGRADO
IGREJA AUTOMOTIVA MÓVEL DO FOGO SAGRADO
IGREJA BAILARINAS DA VALSA DIVINA
IGREJA BAMBOLÊS SAGRADOS
IGREJA BARCO DA SALVAÇÃO
IGREJA BATE PALMAS 40 DIAS
IGREJA BATISTA A PAZ DO SENHOR E ANTI-GLOBO
IGREJA BATISTA AS ANDORINHAS DE CRISTO
IGREJA BATISTA BANDEIRAS DA FÉ
IGREJA BATISTA BRASA VIVA
IGREJA BATISTA CÓPIA DA PERFEIÇÃO
IGREJA BATISTA DA JUVENTUDE SEM DROGAS E ROCK’N'ROLL
IGREJA BATISTA DA MÃO SANTA
IGREJA BATISTA DA POMBA SACRIFICADA
IGREJA BATISTA DA VELHICE TRANQÜILA
IGREJA BATISTA DEDO DE DEUS
IGREJA BATISTA DO POVO
IGREJA BATISTA ELOHIM SHADEH
IGREJA BATISTA ESTRELA CADENTE
IGREJA BATISTA EVANGÉLICA BENEFICÊNCIA LEÃO DE JUDÁ
IGREJA BATISTA EVANGÉLICA CARIDOSA DAS ALMAS
IGREJA BATISTA EVANGÉLICA DA BAZUCA CELESTIAL
IGREJA BATISTA FLORESTA ENCANTADA
IGREJA BATISTA GAY DO RIO DE JANEIRO
IGREJA BATISTA HOMOSSEXUAL GAYS DE CRISTO
IGREJA BATISTA INCÊNDIO DE BÊNÇÃO
IGREJA BATISTA LOGARÍTMICA DO REINO DE DEUS
IGREJA BATISTA MOÇA BONITA
IGREJA BATISTA PENTEC. A COBRA DE MOISÉS QUE ENGOLIU AS OUTRAS MÁS E FRACAS
IGREJA BATISTA TOO MUCH
IGREJA CONGREGAÇÃO PASSO PARA O FUTURO
IGREJA CONGREGACIONAL BOCA DO PEIXE
IGREJA CONGREGACIONAL EXPLOSÃO DA FÉ
IGREJA CORAÇÃO RECICLADO
IGREJA CÓSMICA DO PODER PLENO E MISTERIOSO
IGREJA CRISTÃ DE TERAPIA CONTRA O ENCOSTO
IGREJA CRISTO É SHOW
IGREJA CRUZADA EVANGÉLICA COM PASTOR WALDEVINO COELHO, A SUMIDADE
IGREJA CUSPE DE CRISTO
IGREJA DA ÁGUA ABENÇOADA
IGREJA DA BEIRA DO TREM
IGREJA DA BOA SORTE
IGREJA DA FORTUNA
IGREJA DA MÃO ENCOLHIDA E MIRRADA
IGREJA DA POMBA BRANCA
IGREJA DA REVELAÇÃO RÁPIDA
IGREJA DA VITÓRIA DO POVO CARIOCA
IGREJA DE DEUS ASSEMBLÉIA DOS ANCIÃOS
IGREJA DEKANTAHLAHBASSYÍ
IGREJA DO ESPÍRITO SANTO PERDIDO
IGREJA DO PASTOR SASSÁ
IGREJA DO RIO QUE CORRE TORTO
IGREJA DO VALE FELIZ
IGREJA E BAR EVANGÉLICO ARCA LTDA ME.
IGREJA E CLUBE DIVERSÃO PARA O POVO CRISTÃO
IGREJA E TEMPLO CÓSMICO RAELIANO
IGREJA E.T.Q.B. (EU TAMBÉM QUERO A BENÇÃO)
IGREJA ‘EU SOU A PORTA’
IGREJA EVANG. PENTECOSTAL DA BÊNÇÃO ININTERRUPTA
IGREJA EVANGÉLICA BATALHA DOS DEUSES
IGREJA EVANGÉLICA BATISTA BARRANCO SAGRADO
IGREJA EVANGÉLICA BOLA DE NEVE
IGREJA EVANGÉLICA DO PASTOR PAULO ANDRADE
IGREJA EVANGÉLICA FLORZINHA DE JESUS
IGREJA EVANGÉLICA FONTE DE MILAGRES
IGREJA EVANGÉLICA H.I.V. (HOMEM,INTELIGÊNCIA, VIDA)
IGREJA EVANGÉLICA LABAREDAS DE FOGO
IGREJA EVANGÉLICA LIGAÇÃO DIRETA COM O PARAÍSO
IGREJA EVANGÉLICA MEU DEUS DO CÉU
IGREJA EVANGÉLICA O SENHOR VEM NO FIM
IGREJA EVANGÉLICA O TEMPERO DA VIDA
IGREJA EVANGÉLICA PASSA TRÊS
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL CUSPE DE CRISTO
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL PLANETA CRISTO
IGREJA FOGUETE RUMO AO CÉU
IGREJA INDIVIDUALISTA EVANGÉLICA DA AUTO AJUDA
IGREJA INFANTIL FOFURAS DO AMANHÃ
IGREJA MATA MINHA SAUDADE
IGREJA METODISTA INTERNACIONAL FÁBRICA DE MILAGRES
IGREJA NOIVA DE JESUS DA SEGUNDA DIVISÃO
IGREJA O CUSPE DE DEUS
IGREJA ORIGINAL DE JESUS CRISTO NÚMERO DOIS
IGREJA QUADRANGULAR DA QUARTA DIMENSÃO
IGREJA QUADRANGULAR O MUNDO É REDONDO
IGREJA UM SALTO PRO FUTURO
TEMPLO DA ATRIBUIÇÃO DE VIRTUDES MÁGICAS
TEMPLO EVANGÉLICO CHAFARIZ DE APARIÇÕES
TEMPLO EVANGÉLICO CRISTÃO CALDEIRÃO DE BÊNÇÃO

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Carta a um filho amado...




Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.
(jeremias 29.13)


Escuta!...

Por muitas vezes Eu falei contigo sobre a importância que você tem para Mim.
Por muitas vezes Eu falei do Meu grande amor por você.
Por muitas vezes dei exemplos de vida te mostrando o que é certo e o que é errado.
Porém percebo que quase tudo tem sido inútil, pois tu não compreendes.
Olhe para a cruz e note quão doloroso foi aquele sacrifício vivo por você.
Para que hoje tu viesses a ter salvação garantida.
Filho amado,ouça quando falo contigo!
Pois tenho te dado tantas oportunidades para que me conheças melhor e tenha uma comunhão real comigo.
Porém,todos os dias fico triste ao notar teu proceder,pois te chamo de filho e não me têns por Pai,te dou estratégias para anunciar a minha palavra e tu negas o Meu Nome.
Olhe ao teu redor,se é que podes enxergar,quantas pessoas estão morrendo por não me conhecer,quantos estão entregues ao inimigo e por isso sofrem horrores,quantos tem sofrido decepções,quantos tem andado em trevas?
E enquanto tudo isso acontece,você,que Eu chamei e enviei para ser luz,para ser mensageiro e herdar tantas promessas permanece assim,inerte,esquecendo tua missão,
abandonando o teu chamado e tentando fugir de Mim.
Filho amado,embora isso tudo Eu saiba,te pergunto hoje: Como está o teu coração?
Como está a tua vida? Por quais caminhos têns andado?
Observe bem e avalie,se é que podes julgar a si mesmo.
Mas antes de tudo lêmbre-se que sou Misericordioso e Grande em perdoar,arrependa-se e me busque,humilhe-se diante de Mim e só assim te exaltarei,só assim Eu te darei vitória.
Mas,veja bem: É necessário, que me busques de todo o teu coração e com sinceridade.
Só assim terás a paz que tanto procuras sem conseguires encontrar.

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Papo com o Zé...



Dia desses em uma cidade do interior eu estava conversando com o Zé.
Havia três cachorrinhos brincando na rua e o Zé ao vê-los disse o seguinte:
Olha que interessante!Assim também deveria ser conosco se Adão não tivesse pecado!
Viveríamos assim,soltos pelas ruas,livres,sem tantos compromissos!
Perguntei então para ele: Zé,você consegue imaginar um mundo sem pecados?
E ele me respondeu:isso é impossivel,pois o pecado não permite!

Vinde e tornemos para o Senhor,porque Ele nos despedaçou e nos sarará;fez a ferida e a ligará.(oséias 6.1)

Acaso também é assim contigo caro leitor? Pois saiba que já aconteceu muitas vêzes com esse que vos escreve. Mas,graças ao Nosso Maravilhoso Deus,em todas essas vêzes pude ter meus olhos espirituais abertos e consegui enxergar esse mundo melhor.

Você pode dizer assim: mas isso é fábula,fantasia,que mente fértil a tua hein rapaz!
E eu te respondo firmado na palavra fiel e que jamais falhará:
ISSO É POSSÍVEL SIM!
Preste atenção ao versículo que acabou de ler:
Quando voltarmos realmente para Deus confessando nossos pecados,nos arrependendo dos mesmos e deixando de praticá-los,pode ter certeza,haverá um mundo melhor!

Quer saber qual é o segredo amado leitor?
Tudo começa comigo!
Se a minha Casa(corpo) estiver limpa,Deus virá e fará morada!
A obra de Deus sempre começa no interior do ser humano,em cada um de nós. E assim deveriam ser todas nossas intenções e orações: em tudo Senhor,começa comigo?!
Minha familia precisa de salvação? Começa comigo!
O meu local de trabalho,meus vizinhos,o bairro onde moro,a cidade,o país,o planeta precisam de conserto? Começa comigo!

Sim!É possível haver paz nesse grande vale que é a nossa vida.
Vinde!tornemos ao Senhor,Ele tem algo muito melhor para nós!
Pois,o real mundo sem pecados,a vida eterna,o paraíso começa aqui e agora dentro de cada um de nós.
Começa comigo Senhor!

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O corpo fala...







Os diferentes gestos e posturas adotados pelos povos na hora do cumprimento.



Quando nos referimos a formas de saudações, o que para nós, brasileiros, é absolutamente normal, em certos países, podem ser vistos com "maus olhos". Os latinos, em geral, são bem afáveis no processo de comunicação. Para se expressar, usam amplos movimentos dos braços e das mãos, ao contrário dos países saxões, onde as pessoas fazem movimentos mais limitados. O mesmo é válido para os EUA. Em vez de beijos e abraços, prefira o universal aperto de mão, firme e olho no olho. Essa mesma postura não deve ser aplicada na Ásia. Lá, o contato do olho no olho é considerado agressivo.

Embora seja universal, o aperto de mão, para os islâmicos, é considerado um tabu quando ocorre entre pessoas de sexos diferentes. A cultura do país determina que os homens não podem tocar mulheres que não sejam parentes próximas. A liberdade entre as mulheres é bem restrita. As muçulmanas só andam pelas ruas cobertas da cabeça aos pés, sem expor braços ou pernas e acompanhadas pelos pais, marido, irmão ou parente do sexo masculino. O cumprimento, nos países islâmicos, é feito tocando a mão direita no coração, na testa e acima da cabeça, nesta seqüência.

Em países como o Japão e a Coréia o cumprimento usual é uma ligeira flexão para frente, intensificando a inclinação em sinal de respeito. Existem regras a respeito de como as pessoas devem se curvar ao se cumprimentarem. Quanto mais a pessoa se abaixa, mais formal é o gesto. Se um dos dois tiver status mais baixo que o outro, o costume manda que o primeiro abaixe o tronco num ângulo de 30 graus. Os indianos e os tailandeses também são discretos em relação ao cumprimento, que é feito juntando as mãos em formas de prece.

No Brasil, é comum a troca de beijos, abraços e tapinha nas costas na hora do cumprimento. Por sinal, dependendo da região a quantidade de beijos pode variar. Em São Paulo, por exemplo, os paulistanos dão dois beijos ao se cumprimentarem e os cariocas, três. Já os povos escandinavos são contrários a demonstrações como essas.

Em alguns países árabes é comum os homens se beijarem como sinal de amizade e companheirismo e isto não representa para eles nenhum desvio de conduta moral. Os russos também se beijam, na bochecha e até mesmo na boca, na hora do cumprimento.

Gestos

Dependendo do país, é preciso tomar certos cuidados com alguns gestos e algumas posturas, pois se for usado de maneira errada e no lugar errado pode causar sérios embaraços.

Na Tailândia e nos países árabes, não se pode cruzar as pernas e mostrar a sola do sapato para alguém. Isso seria um insulto, pois esta é considerada a parte mais suja. Em algumas regiões do Oriente Médio, da África e da Ásia, é preciso ter cuidado com as mãos, pois em um contexto muçulmano, é considerada suja por ser utilizada na higiene pessoal.

Na Turquia, Romênia e Grécia é um desaforo fazer um sinal de figa, pois é interpretada como um convite ao sexo. Para os franceses e turcos o gesto também é considerado um insulto.

Nos países da Europa Central, passar a mão na barriga significa que uma pessoa está contente com a má-sorte do outro e não que está com fome. Mostrar a língua é insulto na Europa e na América, mas é uma saudação respeitosa no Tibete.

Como pudemos perceber, os gestos, as posturas, enfim os costumes de um povo diferem de uma região para outra. O missionário precisa estar bem preparado para enfrentar a nova realidade. Ao ingressar no campo missionário, ele precisa ser neutro. Não deve transparecer traços de sua cultura, nem tão pouco trazer, ao retornar, costumes incompatíveis com a cultura de seu país. O melhor caminho para evitar que o choque cultural seja muito forte é buscar conhecimento sobre o país de origem.


Ingrid Cicca

O Tempo passa para todos!...

Barbie completou 50 anos



Piu Piu completou 60 anos essa semana



Superman



Thor



Hulk



Mulher Maravilha



Spiderman



Batman e Robin





"A vida é curta, "quebre regras",perdoe rapidamente,beije lentamente, ame de verdade, ria , aproveite bem a vida,nao deixe algo de bom na sua vida passar em branco, faça acontecer, e nunca pare de sorrir, por mais estranho que possa parecer o motivo."

sábado, 21 de novembro de 2009

Da série: QUEISSO MEU POVO BRASILEIRO?...



Por fora, bela viola. Por dentro, pão bolorento ...




Essa era a acusação de Jesus Cristo aos fariseus: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!" (Mateus 23:27)

Às vezes reflito se a minha vida não está semelhante a vida destes fariseus. Eles eram religiosos reconhecidos na sociedade, mantinham uma vida regrada perante as pessoas e praticavam seus rituais pontualmente, mas mesmo assim foram gravemente repreendidos por Jesus.

Seu erro? Não viver aquilo que pregavam e ter um coração distante e descompromissado com Deus.

Corremos o risco deste erro nos tempos atuais! A superficialidade ronda nossas vidas e às vezes nós fazemos como estes fariseus: apenas cumprimos rituais, que perante Deus são vazios, já que Deus vê o nosso interior e sabe exatamente o nível de comprometimento que temos com Ele e com Sua obra.

Será que muitos de nós não fazemos parte de um grande grupo de fariseus pós-modernos que tenta enganar a Deus com rituais de todo tipo e um compromisso vazio perante Deus?

Você se enquadra no ditado "Por fora bela viola, por dentro pão bolorento"?

Só há uma forma de responder a essa pergunta e não é dizendo que não, da boca pra fora, mas sim consultando o coração diante de Deus, pois diante Dele não há mentira que possa ser sustentada.

Que possamos ser achados retos diante de Deus. Isso é o que a igreja precisa, de homens e mulheres compromissados com Deus!

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

"Deus tarda, mas não falha"?...




É interessante como os ditados populares fazem parte da nossa cultura e expressam o que o povo pensa, pois, como muitos creem, "a voz do povo é a voz de Deus". Apesar de existirem alguns ditados verdadeiros, "nem tudo o que reluz é ouro"!

Um dos ditados populares a respeito de Deus diz: "Deus tarda, mas não falha". Há, inclusive, uma música intitulada "Quando Deus se cala", do grupo Voz da Verdade, o qual, como tem acontecido há um bom tempo, tem distorcido as verdades bíblicas. No trecho final, a letra diz: "Quando Deus se cala, tenha fé ó meu irmão/ Ele tarda, mas não falha, Ele vem com a solução"

Será que isso representa mesmo uma verdade? Vejamos:

"O Senhor não demora a fazer o que prometeu, como alguns pensam..." (2 Pedro 3.9)

Comparando o ditado popular com o que diz a Palavra de Deus, vemos que a ideia de que Deus "tarda" é fruto da visão superficial e imediatista do ser humano. O certo seria dizer: "Deus não tarda e não falha"!

É muito importante analisarmos o que a "voz do povo" diz. Sem a luz da palavra de Deus, estamos sujeitos a todo tipo de pensamento errado e que não agrada a Deus.

Mas o pior de tudo é quando temos a palavra de Deus nas mãos e não fazemos uso dela [isso é a maior tristeza]. Sem ela, corremos o risco de dar crédito àquilo que não é verdade. Por isso amados, sejamos estudantes e praticantes da Bíblia Sagrada!


No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

Monólogo da Mulher Adúltera...



(Quero deixar bem claro que este é um exercício de FICÇÃO. É uma suposição de como o fato pode ter acontecido. Não é nenhuma "revelação" extrabíblica, mas apenas as suposições e a fantasia de um simples escritor)



Desde pequena eu sabia o que era certo.

Meu pai, um dos principais da sinagoga, fazia questão de nos ensinar toda a Torá desde pequeninos. Na verdade, ele ensinava somente aos meus irmãos, mas eu me aventurava em ouvir os ensinos, escondida atrás da porta. Achava fascinante, e ao mesmo tempo pesado... eram tantas leis, tantos mandamentos...

Será que algum homem seria capaz de cumpri-los todos? Sinceramente, achava impossível... e me calava.

A esperança brilhava nos meus olhos quando o ouvia falando do tal messias, o que viria para salvar o seu povo. Como deveria ser? Será que o tal messias me olharia um dia nos olhos? Ou será que estava condenada a viver minha vida toda atrás das portas... escondida dos homens?

O tempo passou. Cresci, e ainda em minha adolescência fui obrigada a casar com um homem a quem não amava. Era o costume, e assim foi... Eu era cuidada por ele como um objeto precioso, havia respeito, mas não amor, amor que eu tanto procurava. Os amigos de meu pai me consideravam uma jovem muito bonita e faziam questão de externarem suas opiniões. Eu gostava. Não ouvia tais elogios de meu marido.

Fui me acostumando àqueles elogios. Na verdade alguns eram até ousados demais, e me deixavam sem graça, pois percebia suas intenções, podres intenções. Eram homens casados também, oficiais na sinagoga, alguns anciãos, outros mais jovens, mas queriam que eu os servisse, nem que fosse por uma noite apenas.

Aquela situação me causava muito desconforto. Sentia raiva,e até mesmo nojo daqueles homens... exceto um, que me chamava a atenção. Era casado também, mas parecia me querer bem... fui seduzida!

Nunca imaginara trair meu marido, mas naquela madrugada, antes do nascer do sol me entreguei àquele homem. Nem de longe imaginava o que ainda estava por acontecer.

Os outros homens, amigos do meu pai, haviam percebido o meu envolvimento, e seguiram-nos até nos pegarem em pleno ato de adultério. Meu dia estava apenas começando. Quanta vergonha!!!

Pegaram-me, nua, e carregaram-me para o Templo, onde um homem de Nazaré ensinava naquela manhã que nascia. Havia uma multidão para ouvi-lo. A vergonha era maior ainda. Muitos me conheciam... muitos conheciam meu pai... muitos conheciam meu marido.

Tive medo!

Fui jogada no meio da multidão, que se acotovelava para ouvir o tal profeta Galileu. Achei estranho perceber que estava só. Apesar de eu e meu então amante sermos pegos juntos no ato de adultério, apenas eu fui levada como adúltera... ele não!

Olhei então e vi aqueles homens que antes me assediavam, perguntando àquele Rabi: “mestre, esta mulher foi surpreendida em adultério. Na lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. Tu, porém, o que dizes?”

Eu olhava aquela cena e meu nojo aumentava. Os homens que queriam apedrejar-me eram os mesmos que viviam se insinuando para mim. Quanta hipocrisia. Quanto ódio tive da religião!

O tal Rabi galileu permanecia calado.

De repente, inclinou-se e começou a escrever na terra com seu próprio dedo. Eu não acreditava no que meus olhos começavam a ler.

Aquele homem começou escrevendo o meu nome, e abaixo do meu nome começou a enumerar os meus pecados. TODOS os meus pecados!

Eu queria a morte naquele momento. Que as pedras viessem logo. Não suportaria tanta vergonha.

Num ímpeto, o Rabi levantou-se e disse àqueles homens, meus censores, prontos a colocar sob um monturo de pedras mais uma adúltera: “quem dentre vós que não tem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra!” ... E voltou a escrever meus erros na terra.

Algo muito estranho começou a acontecer: a começar dos mais velhos, um por um, foram largando as pedras em seus pés, virando as costas, e indo embora.

Ficamos só eu e o tal profeta.

Eu tremia!

Ele calmamente levantou-se e veio em minhas direção. Percebi algo no seu olhar. Era diferente. Ele não me desejava. Vi amor no seu olhar. Nunca antes alguém havia me olhado assim. Enquanto caminhava em minhas direção, não tive como não perceber que suas pegadas firmes e constantes, pisavam e apagavam a minha enorme lista de pecados. Lembrei-me de um texto que sempre ouvia meu pai ensinar aos meus irmãos: “pelas suas pisaduras fomos sarados”.

Seria esse Rabi, diante de mim, o messias esperado? Bem que eu já havia ouvido rumores a respeito disso.

Ele aproximou-se de mim, e tirando a sua capa, cobriu a minha nudez. Perguntou-me com uma voz inconfundivelmente firme e amorosa: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?”

Minha voz trêmula conseguiu balbuciar: “Ninguém, Senhor!”

Ele então, segurando em minhas mãos e erguendo-me do chão, olhou nos meus olhos e disse: “Nem eu te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais.”

Meus olhos marejados ainda puderam ver aquele homem se afastando e voltando a ensinar o povo. Eu estava verdadeiramente diante do messias!

Olhei para o chão e lá estavam todos os meus pecados apagados pela sola dos pés daquele rabi. Só uma coisa não havia sido pisado: o meu nome! Ele estava intacto, escrito pelas mãos do próprio salvador. Lembrei-me então de um outro texto sempre recitado pelo meu pai, acerca do messias: “Ele não esmagará a cana quebrada, nem apagará o pavio que ainda fumega...”

Fui para casa... mas sabia que daquele dia em diante nunca mais seria a mesma. Nunca esquecerei de seu olhar, sua voz, e seu amor: “Nem eu te condeno!”

Prossigo em meu caminho, às vezes tropeçando, mas sempre com sua fala graciosa ecoando em mim: “Vai, e de agora em diante... não peques mais!”



Autor: José Barbosa Junior

Fonte: Crêr é também pensar

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Pão de cada dia ...



Pela manhã vos fartareis de pão, e sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus.

(Êxodo 16.12)

O pão nosso de cada dia é um caso muito sério. Que o digam os milhões de famintos com seus longos olhares espalhados pelo mundo a fora. Que o digam os marmiteiros, os bóias-frias e também aqueles que têm uma mesa relativamente farta: o pão nosso de cada dia é cada vez menos nosso e, talvez não seja mais cada dia. Projeções sombrias sobre condições climáticas desfavoráveis, pragas na lavoura, erosão do solo, perda de fertilidade da terra e, sobretudo, a explosão populacional, que, por sua vez, pode detonar a fome numa reação em cadeia universal — tudo isso nos dá um frio e um vazio no estômago, prenúncio do que nos espera.

Foi com um sentimento bem igual que os ex-escravos judeus reagiram no deserto. O grande problema não era mais a exploração do seu trabalho, as ameaças, os maus tratos. Afinal, os egípcios cuidavam bem de suas máquinas com um combustível forte, cheiroso — os famosos panelões de carne. E agora não havia carne, não havia pão, não havia nada. Como diz o ditado: Em casa onde não há
pão, todo mundo briga, e ninguém tem razão. E a briga foi contra Moisés. Mas, na realidade, foi contra Deus — falta absoluta de fé.

Em outro texto encontramos os discípulos de Jesus sendo repreendidos pelo Mestre por um motivo idêntico, falta de fé na providência divina. E no caso deles houve o agravante de terem visto duas multiplicações de pães!

No que toca ao pão, nossa fé é tão curta quanto a própria digestão. Com a barriga cheia, dinheiro no banco, futuro profissional garantido, nenhuma tempestade à vista, somos os primeiros a condenar os discípulos e os judeus do Êxodo. Mas se as coisas são diferentes, não seremos os últimos a engrossar aquele desafinado coro.

Como cristãos, que temos a fé no perdão de Cristo e a esperança da vida eterna, podemos desconfiar de Deus e até nos rebelar contra ele se algum alimento falta em nossa mesa? Ou deveríamos prestar-lhe o máximo louvor pelas mínimas bênçãos recebidas a cada dia?

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!


Pb.Altino G.Elerth

terça-feira, 17 de novembro de 2009

De repente,o Fim...


Calafrios me invadiram quando Lilian, que não via a muito tempo, contou-me sobre seu irmão, o cabeludo Marcelo.

Conheci-os a anos, quando trabalhávamos na mesma empresa, e Marcelo, já conhecido pelas longas madeixas loiras, começava como office-boy, indicado pela irmã que trabalhava em outro departamento.



Diz que o tranqüilo rapaz, já com seus vinte e três anos, se preparava para voltar para casa, descansar para um novo dia de trabalho. Se despedia da namorada sentada a seu lado no sofá, quando , no meio de um assunto banal, pende com sua cabeça para trás, com seus olhos fechados, para nunca mais abri-los.

Um inesperado AVC totalmente insuspeito finalizou precocemente e de forma instantânea a existência do rapaz.

Não houve tempo para considerações finais ou acertos de contas, ficando a sensação inaceitável de um precioso provérbio escrito pela metade, mas com um ponto final imperativo, inegociável, que não respeita as perguntas e necessidades daqueles que ainda ficam.



Uma velha canção de Belchior tem uma frase interessante:

"...Mas se depois de cantar, você ainda quiser me atirar, mate-me logo! À tarde, às três que à noite tenho um compromisso e não posso faltar por causa de vocês..."



Por mais que tentemos negar, somos criaturas feitas para continuar existindo. Nossa mente, como no refrão de "Apenas Um Rapaz Latino Americano", continua aguardando um próximo comando, uma próxima ação, um próximo passo, mesmo com a certeza que não existirá vida neste corpo daqui a alguns segundos.



Entre os mortos do atentado de 11 de Setembro, algumas cenas ficaram gravadas para sempre na retina da humanidade. Uma delas, poucas vezes transmitida, mostrava um grupos de amigos, pulando simultaneamente, de mãos dadas, para se espatifar no meio dos destroços do World Trade Center. Apesar do caos, tentaram dar um sentido ao fim inesperado daquela trágica manhã,



Conta-se que um condenado à morte esperava a hora da execução, quando chegou o padre:



- Meu filho, vim trazer a palavra de Deus para você.

- Perda de tempo, seu padre. Daqui a pouco vou falar com Ele, pessoalmente. Algum recado?



O mais interessante - e ilógico - é nossa falta de urgência em viver, em sorver cada gota de nossas relações, de apreciar cada palavra de um bom livro, cada gargalhada de uma boa piada, aproveitar cada abraço de adeus, cada delicioso sumo de cada fruta.

Talvez por que, no projeto inicial, nossa criação incluía a vida eterna, perdida em nossa atitude adâmica, e quando se tem a eternidade, a pressa é desnecessária.



"Deus plantou a eternidade no coração do homem..."Eclesiastes 3.11



Zé Luís

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Oremos...


Orar é sempre bom, mas perceba como os gatos são dramáticos...

domingo, 15 de novembro de 2009

Sabedoria: A lição do miolo de pão...



Um casal tomava café no dia das suas bodas de ouro. A mulher passou a manteiga na casca do pão e deu para o seu marido, ficando com o miolo. Pensou ela:

- Sempre quis comer a melhor parte do pão, mas amo demais meu marido e, por 50 anos, sempre lhe dei o miolo. Mas hoje quis satisfazer o meu desejo".

Para sua imediata surpresa o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe disse:

- Muito obrigado por este presente, meu amor. Durante 50 anos, sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou tanto dela, eu jamais ousei pedir!

Assim é a vida... Muitas vezes nosso julgamento sobre a felicidade alheia pode ser responsável pela nossa infelicidade...

Diálogo, franqueza, com delicadeza sempre, são o melhor remédio!

Maria vai com as outras (e se deu mal...) ...




É impresionante o poder de sugestão gerado pelas massas. O que uma pessoa vê muitos fazerem parece ser algo que ele também tem de realizar, ou ficara "de fora".

Anos atrás, eu passava pelo viaduto do Chá - no centro de São Paulo, e cismei que havia algo para ser visto nos céus, talvez as próprias nuvens que, levadas pelo vento, adquirem formas sugestivas, e parei, junto ao alambrado de proteção que se debruça sobre o Vale do Anhangabaú. Fiquei ali uns instantes nessa contemplação.

Qual não foi o meu espanto, ao baixar os olhos , ao notar que uma pequena multidão se formara ao meu redor, todos olhando para o alto. Quem sabe não estava descendo um disco voador!

Seguir a multidão, isto é, aliar-se aos outros, pode ser algo inofensivo, como o exemplo citado, e mesmo não existe uma reprimenda para aquele que quer andar na moda. Mas se estivermos fazendo algo que vimos outros praticarem por erro?

Mais ainda, nos dias de hoje é muito comum que se espalhe a idéia de que tudo vai dar errado, que a economia está para quebrar, e isso gera corrida aos bancos e, por isso, a economia de fato quebra.

Só porque as pessoas guardam rancores, pensam em se vingar e procuram tirar vantagem em tudo, não devemos aceitar tais procedimentos como válidos, lembrando que isso seria negar as palavras de Jesus sobre amar a Deus e ao próximo.

A insegurança, o erro, a falta de responsabilidade que afirmam em nossa mente: "Se os outros fazem eu também vou fazer" não ajudam em nada, e podem levar a descaminhos, derrota e tristeza.

Felizmente, Deus nos recomenda que não sigamos exemplos negativos, mas que tenhamos Nele o referencial, pois suas palavras, pensamentos e atos são, sempre, positivos e benéficos.

Tenha essa segurança de Deus e descarte os "modelos" prejudiciais, deixando de lado as sugestões de desforra e ódio que, afinal, irão atingir a você próprio.



Texto de autoria de Pr. Elcio Lourenço.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

"Como Zaqueu" já está saindo das paradas de sucesso...





A maior prova de que uma música é de momento é quando ela aparece do nada, tem uma ascensão meteórica e depois cai em desuso.



A beleza desse tipo de música estava enquanto ela fazia sucesso. As pessoas se derretiam aos prantos quando cantavam aquela que consideravam "o louvor do século", até então. Hoje, ela já não é tão ouvida como há pouco mais de três meses. "Faz um milagre em mim", de Regis Danese, é exemplo disso. Mas ela não é a primeira a desaparecer depois do sucesso.



Quem não se lembra das músicas do Ministério Apascentar - ou Toque no Altar, ou ainda, Trazendo a Arca (já mudaram de nome de novo?) - "Restitui", "Faz chover", entre outras? Quem não se lembra também de Lázaro, que esteve no auge em 2008? Recentemente a febre nacional foi "Sabor de Mel". Essas e outras músicas já fizeram muito sucesso. Com o passar do tempo, o desuso as destroem, e elas ficam só na lembrança.



E para ajudar a proliferar essas músicas na cabeça das pessoas, elas eram tocadas ininterruptamente por onde quer que fôssemos. Bancas de CDs (piratas) gospel da esquina ou lojas de produtos evangélicos só tocavam a mesma música. Era inevitável a melodia não ficar alojada no cérebro. Mas depois que as pessoas começam a enjoar, o mercado fonográfico evangélico é ágil para mudar o repertório e lançar um novo hit.



Além disso, essas músicas sempre têm algum desvio bíblico bastante defendido com unhas e dentes pelos seus fãs. Quando não, levam as pessoas a fazer uma revolução egocêntrica. Só quando essas pessoas começam a refletir na letra, sem preconceito, é que caem na real e veem as distorções que as músicas apresentam.



Por essas e outras, a música gospel brasileira está vivendo de momentos. Essa de Regis Danese mexeu com a estrutura de muita gente, mas daqui a cinco anos as pessoas nem sequer vão saber quem é esse cantor, principalmente porque não se sabe se outra música dele fará tanto sucesso como a da história de Zaqueu. Espera-se que venham novas e melhores canções por aí.



Sabemos que há muita gente boa, com letras inspiradoras e talentos indiscutíveis na vida de muitos cantores. Mas a maioria dos CDs que são lançados hoje é voltada para o mercado, e não o enlevo espiritual. Os cantores, conscientes ou não, sabem que música que faz sucesso é aquela que fala sobre determinado assunto, como chuva, mel, milagre, restituição...



Se "Faz um Milagre em Mim" começa ser menos ouvida, não vai demorar para aparecer outra de sucesso. Esse ciclo mercadológico atende aos anseios de empresários, gravadoras e cantores, todos interessados no lucro, enquanto o povo fica nas alturas achando que está ouvindo uma obra clássica de Mozart que mal fala em Deus.


É por isso que as músicas cristãs evangélicas - principalmente as voltadas para os pentecostais - precisam passar por um processo diferente daquelas que são projetadas para o sucesso no mercado. Elas devem ser compostas com unção, pensando na edificação das pessoas e na glorificação do nome do Senhor. Seguindo esse caminho, o próprio Deus fará com que elas cheguem aos lugares mais distantes e, através delas, vidas se entreguem a Cristo.


Resta orar para que gravadoras e cantores lancem músicas de conteúdo, e não de momento.

A-BD

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

CRIAÇÃO ou evolução?... 1ª parte


Qual a criatura mais complexa existente na terra?
Provavelmente você e eu!
Mas como aparecemos?Somos primos distantes dos macacos ou fomos projetados pelo Criador? Se foi assim,o relato bíblico da criação é realmente possivel?
Segundo o relato de gênesis Deus criou o homem totalmente crescido.
Adão,quando surgiu já era adulto,completo,com apenas um minuto de idade.
Deus,tirou dele uma costela e fêz Eva.Há cristãos que dizem acreditar na evolução e na biblia mas temos aí um problema:Por acaso há evolucionistas por aí ensinando que a mulher evoluiu de uma costela?É claro que não! Mas é o que a biblia diz: conta que Deus tomou uma costela e fêz Eva. Quando Adão desperta de seu sono anestésico e vê Eva,ela já é adulta.Ela tem dois segundos de idade mas já é adulta.
Se acreditamos no relato bíblico devêmos acreditar que Deus cria sêres adultos e o homem é uma dessas criaturas.
E eu acrescento:Nosso Criador è capaz de fazer isso?
A biblia afirma em três lugares que Jesus é o Criador!
Em colossenses 1,hebreus 1,joão 1.
Portanto Jesus é o Criador!
Ele criou o homem adulto,com aparência de adulto,totalmente maduro.A mulher adulta,madura.Árvores,adultas,maduras e com frutos hein!
Imagine Eva comendo um pêssego e perguntando a Adão: Quanto tempo leva para crescer um pêssego? E ele responde:três dias minha amada! Não pode ser? Sim!Deus fêz a árvore com frutos em três dias!
Se acreditamos no relato da criação em gênesis temos de crer nisso!

CRIAÇÃO ou evolução?... 2ª parte


Será que Jesus,o Criador,tinha essa habilidade?
Ora!Quais são seus milagres? O primeiro em joão 2,transformou água em vinho!
Conforme o relato Ele usou seis talhas de água e quando o encarregado da festa provou da água disse: Esse é o melhor dos vinhos!
E como se faz um bom vinho?Diria você:É preciso muito tempo!
E aquele vinho tinha quanto tempo?Um minuto? Quantos vasos de água?Seis! Quantos dias na semana da criação?Seis!
Criação com aparência madura em gênesis 1.
Vinho com aparência madura em joão 2.
Nada foi por acaso. Como o Senhor fêz o homem?
Vamos pensar por exemplo na nossa orelha: à primeira vista parece algo esquisito pois temos essas coisas estranhas uma de cada lado da cabeça e então olhamos para os animais e notamos que quase todos têm orelhas,porém tem uns que ouvem sem orelhas.Mas,nós temos orelhas.O tímpano humano é uma maravilha.O movimento dele é tão pequeno que mal pode ser medido.Alguns cientistas dizem que o movimento de tímpano quando atingido por diferentes sons é de aproximadamente um centésimo da largura da molécula do hidrogênio.Essa é uma das menores moléculas existentes,porém,esse movimento imperceptível pode distinguir entre uma trombeta,um tambor,a voz de sua mãe dizendo que arrume sua cama,a voz de teu pai dizendo que não empresta o carro porque ontem você chegou tarde demais.E esse minúsculo movimento diferencia entre todos esses sons,mergulha no seu cérebro e seu cérebro lhe diz:essa é mamãe falando,esse é papai,essa é a orquestra tocando.Podemos ouvir música,podemos ouvir alguém dizendo que nos ama,coisa essa que gostamos de ouvir.Como?Com um simples movimento que não chega a ter a largura da molécula do hidrogênio,ou seja: Isso é um milagre!E acontece dentro da sua cabeça.

CRIAÇÃO ou evolução?... 3ª parte

.
Nossos olhos:
Acontece a mesma coisa.Os cientistas não conseguem reproduzir o que nosso olho faz.
Não conseguem fazer uma lente e imagino que os fotógrafos gostariam de uma lente assim,que enxerga bem estando longe ou perto se pensamos no olho saudável,sem defeitos ou precisando de óculos.
Nosso olho fica em movimento o tempo todo,mas as imagens que percebemos não tremem,permanecem estáveis.Como isso é possivel?Deus criou o olho junto com vários músculos dentro de nossa cabeça,planejou o modo como tudo interage com o nervo ótico e com o cérebro.Nossos olhos recebem imagens de todos os tipos.Já foram até feitos experimentos colocando nas pessoas óculos que viram as imagens de cabeça para baixo. No entanto depois de duas semanas uma pessoa com esses óculos pôde dirigir um carro! Seu cérebro compensou a distorção. Agora pense no modo como o corpo humano funciona. Como o corpo evoluiu?
Refletindo sobre o assunto,examinando algumas criaturas,olhamos para elas e pensamos: Como é possivel? Serão elas resultado de um processo impessoal,ao acaso?
Ou será que existe um projetista?
Um poder com inteligência tal,que teve a genialidade de projetar todos esses detalhes de modo que funcionem.
Cada peça trabalhando em harmonia com as outras,resultando nessas maravilhosas criaturas que desafiam a evolução em todos os aspectos.
Tudo isso prova a existência de um projetista,um Criador e eu sei o nome Dele.
Ele deseja ter um relacionamento com cada um de nós.
E Ele penetrou no tempo e no espaço na Pessoa de Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo que é o Criador,que tem poder e genialidade para criar tudo o que há.

O que te falta para crêr realmente em Deus?

extraido e adaptado da série "criaturas incríveis" de dr.jobe martin

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo


Pb.Altino G.Elerth

terça-feira, 10 de novembro de 2009

“Se não deixarem Jesus, vamos queimá-los vivos!”...

Se Kalyan Rai e o Arvind Gudeep forem para suas igrejas, eles poderão ser mortos.
Kalyan e Arvind são dois missionários da Gospel for Asia em Uttar Pradesh, Índia. Em um curto período de tempo, os dois pastores receberam ameaças de extremistas em suas regiões.

Arvind estava realizando cultos especiais em sua congregação no dia 2 de novembro, quando uma gangue de 41 extremistas anticristãos invadiu a igreja.

Eles ameaçaram os cristãos, dizendo: “Vocês enfrentarão consequências terríveis se não abandonarem sua fé. Se não deixarem Jesus, voltaremos no próximo domingo e queimaremos vocês vivos!”.

O objetivo dos radicais era amedrontar Arvind para que ele deixasse a área. Os correspondentes da Gospel for Asia relatam que os cristãos estão preparados para enfrentar qualquer coisa por Cristo. Os líderes, que afirmam que incidentes similares estão ocorrendo nos distritos vizinhos, estão abordando as autoridades locais para pedir proteção.

Kalyan, que trabalha em outro distrito de Uttar Pradesh, se formou recentemente em uma escola bíblica, trabalhando bastante para iniciar um ministério em vilarejos não alcançados. Como resultado de seus esforços, 25 pessoas que não conheciam a Cristo agora adoram ao Senhor com Kalyan como pastor. No entanto, extremistas anticristãos muito violentos ficaram enfurecidos com sua vitória e estão ameaçando Kalyan e sua jovem congregação.

Recentemente, os extremistas se aproximaram de um dos cristãos e disseram a ele que passasse uma mensagem para seu pastor. O cristão deveria dizer que, da próxima vez que Kalyan fosse até a igreja para realizar um culto, eles iriam matá-lo – e todos os membros também.

Tanto Kalyan quanto Arvind pedem oração urgente por essas situações. Eles desejam permanecer onde estão e continuar a salvar vidas. Os cristãos da região pedem oração para que os olhos dos extremistas sejam abertos para que eles conheçam o amor e Jesus por eles e para que os incidentes sejam resolvidos de maneira pacífica.

Fonte: Portas Abertas.

sábado, 7 de novembro de 2009

QUERO SER UMA TELEVISÃO ? ...




NA SALA DE AULA, A PROFESSORA PEDIU AOS SEUS ALUNOS QUE FIZESSEM UMA REDAÇÃO E QUE NA MESMA EXPRESSASSEM O QUE GOSTARIAM QUE DEUS FIZESSE POR ELES.
JÁ EM CASA E QUANDO CORRIGIA AS REDAÇÕES DOS SEUS ALUNOS, DEPAROU-SE COM UMA QUE A DEIXOU MUITO EMOCIONADA.
O MARIDO, NESSE MOMENTO, ENTROU NA SALA ONDE ELA SE ENCONTRAVA E VENDO-A A SOLUÇAR, PERGUNTOU-LHE: - O QUE ACONTECEU ? ELA RESPONDEU-LHE: - LÊ ! – PASSANDO-LHE UMA FOLHA DE PAPEL. – É A REDAÇÃO DE UM ALUNO MEU.
O MARIDO PEGOU NA FOLHA DE PAPEL QUE ELA LHE ENTREGAVA E COMEÇOU A LER.
“SENHOR, ESTA NOITE PEÇO-TE ALGO DE MUITO ESPECIAL: “TRANSFORMA-ME NUMA TELEVISÃO”.
QUERO OCUPAR O ESPAÇO DELA. VIVER COMO A TELEVISÃO DA MINHA CASA VIVE. TER UM LUGAR ESPECIAL PARA MIM E REUNIR A MINHA FAMÍLIA EM REDOR.
SER LEVADO A SÉRIO QUANDO FALAR … SER O CENTRO DAS ATENÇÕES E SER ESCUTADO SEM INTERRUPÇÕES OU PERGUNTAS.
QUERO RECEBER A MESMA ATENÇÃO QUE
ELA RECEBE QUANDO NÃO FUNCIONA.
TER A COMPANHIA DO MEU PAI QUANDO ELE CHEGA EM CASA,
MESMO QUE ESTEJA CANSADO.
QUE A MINHA MÃE ME PROCURE QUANDO ESTIVER SOZINHA E ABORRECIDA, EM VEZ DE ME IGNORAR.
E AINDA, QUE OS MEUS IRMÃOS “BRIGUEM” PARA PODER ESTAR COMIGO.
QUERO SENTIR QUE A MINHA FAMÍLIA DEIXA TUDO DE LADO, DE VEZ EM QUANDO, PARA PASSAR ALGUNS MOMENTOS COMIGO.
POR FIM, QUE EU POSSA DIVERTIR A TODOS.
SENHOR, NÃO TE PEÇO MUITO …
SÓ TE PEÇO QUE ME DEIXES VIVER COM INTENSIDADE, O QUE QUALQUER TELEVISÃO VIVE !”
QUANDO TERMINOU A LEITURA, O MARIDO VIROU-SE PARA A PROFESSORA E DISSE:
- MEU DEUS, COITADO DESSE MENINO. QUE PAIS ELE TEM !
A PROFESSORA OLHOU BEM NOS OLHOS DO MARIDO E DEPOIS BAIXOU-OS, DIZENDO NUM SUSSURRO:
- ESSA REDAÇÃO PERTENCE AO NOSSO FILHO !
E VOCÊ ?
SERÁ QUE SE DEDICA MAIS À TELEVISÃO DO QUE À TUA FAMÍLIA E AOS TEUS FILHOS ?
MEDITE NO QUE ESTA MENSAGEM REVELA E CORRIJA O QUE TIVER A CORRIGIR, SE FÔR O CASO.
SÊ FELIZ EM FAMÍLIA E PROJETA ESSA
FELICIDADE PARA O MUNDO !

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Pedreiro é dado como morto e aparece no próprio velório no PR...



O pedreiro Ademir Jorge Gonçalves, 59 anos, foi dado como morto após um acidente na BR-153, em Santo Antônio da Platina (PR), na noite deste domingo (1º). Familiares e amigos reconheceram o corpo no necrotério e o sepultamento foi providenciado como de praxe. O detalhe é que Ademir, conhecido como Tufão, apareceu vivo no próprio velório, às 8h desta segunda-feira (2), feriado de Dia de Finados.

Durante todo o tempo em que foi dado como morto, Tufão estava no restaurante do Auto Posto Platina, que fica ao lado do local do acidente. “Ele passou a noite toda bebendo pinga com os amigos”, disse a vendedora Rosa Maria Sampaio, 50 anos, sobrinha de Tufão.

O balconista Josiel Inocêncio da Silva, 23 anos, disse que Tufão soube que estava sendo velado pela família por meio de um amigo. “O rapaz chegou correndo para avisar que estavam querendo sepultar uma pessoa como se fosse ele [Tufão], que ficou assustado na mesma hora. Ele saiu do restaurante para esclarecer a história.”

O reconhecimento

Segundo Natanael Honorato, 36 anos, gerente da funerária Rainha das Colinas, a Polícia Civil da cidade acionou o serviço para a retirada do corpo da pista. “Levamos a vítima para o necrotério, onde o legista fez os exames necessários. Já na funerária, um grupo de pessoas apareceu para fazer o reconhecimento do corpo. Alguns ficaram em dúvida, mas outros reconheceram o corpo como sendo de Tufão”

A partir deste momento, segundo Honorato, o velório e o sepultamento da vítima foram providenciados. “Como eu iria imaginar que o corpo não era da vítima? Se a própria família, que conhecia o sujeito, reconheceu o corpo, como que eu, que não conhecia a vítima, iria reconhecer?”, disse o gerente da funerária.

De acordo com Rosa, a família ficou dividida quanto ao reconhecimento de Tufão. “Eu e meus dois tios ficamos em dúvida, mas uma outra tia minha e quatro amigos dele [Tufão] reconheceram o corpo, então, o que iríamos fazer? Providenciamos o velório.”

Segundo Rosa, o corpo foi liberado por volta das 6h de segunda-feira. “A família já estava no velório, mas a mãe dele [Tufão] olhou o corpo no caixão e achou estranho. Ela olhou, olhou e não conseguia acreditar que aquele era o filho dela. Não demorou muito para o morto aparecer andando no velório. Foi um alívio.”

Honorato disse que o reconhecimento do corpo foi feito com muita emoção. “Foi uma choradeira danada. Não tinha como ter dúvida, mas aconteceu. Em dez anos de profissão, nunca vi coisa parecida.”

Prejuízo

O gerente da funerária disse que até agora está amargando o prejuízo por organizar o velório do ‘morto-vivo’. “A família do Tufão foi quem providenciou o caixão e a cerimônia de sepultamento e velório. Depois de esclarecida a dúvida da identidade do morto, a família saiu do velório e foi para casa. Eu fiquei no prejuízo, porque não recebi pelo serviço.”

Honorato disse que a vítima do acidente foi identificada posteriormente e o corpo foi levado para o sepultamento em Joaquim Távora (PR). “Nenhuma das duas famílias pagou pelo trabalho. Nós oferecemos 24 horas de café, leite, chá e lanche, sem falar do caixão e do sepultamento. Tudo isso sai por R$ 1,3 mil, que saiu, até agora, do meu bolso.”

Quem também teve prejuízo foi Tufão. Apesar de ter virado celebridade na cidade, o dono do imóvel onde ele morava queimou suas roupas e o colchão da cama onde dormia. “O dono da casa era amigo dele [Tufão] e estava certo de que o morto era meu tio. Ele mesmo também fez o reconhecimento. Com essa certeza, ele resolveu queimar tudo que era do meu tio. Agora, a mãe de meu tio está tendo de providenciar roupas novas.”

Fonte: G1

Encontradas moedas egipcias com a efígie de José...




De acordo com matéria do jornal egípcio ‘Al-Ahram’, arqueólogos descobriram moedas antigas que trazem o nome e imagem do José bíblico.
Versos corânicos indicam claramente que moedas eram utilizadas no Egito na época de José.Em uma descoberta sem precedentes, um grupo de pesquisadores e arqueólogos egípcios encontrou um depósito de moedas da época dos faraós. Sua importância reside no fato de que ela fornece prova científica decisiva desaprovando a alegação de alguns historiadores de que os egípcios antigos não estavam familiarizados com moedas e que realizavam o comércio por meio de escambo.

“Os pesquisadores descobriram as moedas quando examinavam milhares de pequenos artefatos arqueológicos armazenados nos [cofres do] Museu do Egito. [Inicialmente] eles consideraram os artefatos como amuletos, mas um exame detalhado revelou que as moedas traziam cunhados o ano e seu valor, ou efígies dos faraós [que governaram] na época que foram cunhadas. Algumas das moedas são datadas da época quando José viveu no Egito e estampam seu nome e retrato.

Costumava haver um conceito errôneo de que o comércio [no Egito Antigo] era realizado por meio do escambo, e que o trigo egípcio, por exemplo, era trocado por outras mercadorias. Mas de maneira surpreendente, versos corânicos indicam claramente acerca da utilização de moedas no Egito na época de José.

O Dr. As’id Muhammad Thabet, líder da equipe de pesquisa, em relação a sua pesquisa arqueológica concernente ao profeta José, disse ter descoberto nos cofres da Autoridade de Antiguidades [Egípcia] e do Museu Nacional, muitos amuletos de inúmeras eras e de períodos posteriores ao de José, incluindo um que trazia sua efígie como o ministro do tesouro na corte faraônica egípcia.

O Dr. S’id Thabet acrescentou que ele examinou o sarcófago de muitos faraós em busca de moedas utilizadas como amuletos ou ornamentos, e que ele havia, de fato, encontrado tais moedas antigas egípcias. Essa [descoberta] impeliu pesquisadores a buscar e encontrar versos corânicos que falem de moedas utilizadas no Egito antigo, [tais como]: “E eles o venderam [ex. José] por um preço irrisório, um número de moedas de prata; e eles não lhe impuseram valor”. [Corão 12:20]. [Também,] Qarun [2] diz acerca de seu dinheiro: “Isso me foi dado por causa de certo conhecimento que tenho” [Corão 28:78].

Estudos… revelaram que aquilo que a maioria dos arqueólogos considerava uma espécie de amuleto, e que outros consideravam ornamento… é, na verdade, uma moeda.

De acordo com o Dr. Thabet, seus estudos estão embasados em publicações acerca da Terceira Dinastia, uma da qual afirma que a moeda egípcia da época era chamada um deben e que valia um quarto de um grama de ouro. Essa moeda é mencionada em uma carta por um homem chamado Thot-Nehet, um inspetor real das pontes do Nilo. Em cartas endereçadas a seu filho, ele mencionou emprestar terras em troca por moedas deben e produção agricultural.

Outros textos da época da Terceira Dinastia, a Sexta Dinastia e a Décima Segunda Dinastia mencionam uma moeda chamada shati ou Sat, cujo valor era igual ao de uma moeda deben. Também há um retrato de um mercado egípcio mostrando o comércio sendo realizado por meio de escambo, mas um de seus vendedores estica sua mão pedindo uma moeda deben em troca das mercadorias.

Estudos realizados pela equipe do Dr. Thabet revelaram que aquilo que a maioria dos arqueólogos considerava uma espécie de amuleto, e que outros consideravam ornamento é, na verdade, uma moeda. Inúmeros [fatos os conduziram a essa conclusão]: primeiro, [o fato de que] muitas dessas moedas foram encontradas em vários [sítios arqueológicos], e também [o fato de que] elas possuem formas redondas ou ovais e que possuem duas faces: uma trazendo uma inscrição, chamada de a face inscrita, e outra com uma imagem, chamada de a face esculpida.

“A descoberta arqueológica também está embasada no fato de que a face inscrita trazia o nome do Egito, uma data e um valor, ao passo que a face esculpida trazia o nome e a imagem de um dos faraós ou deuses egípcios antigos ou um símbolo a estes relacionado. Outro fato importante é que as moedas possuem tamanhos variados e são feitas de matérias diversos, incluindo marfim, pedras preciosas, cobre, prata, ouro etc.

500 destas moedas foram [recentemente] descobertas no Museu do Egito onde foram [originalmente] classificadas como amuletos e armazenadas de maneira descuidadosa em caixas fechadas.

Uma moeda [tinha] uma imagem de uma vaca simbolizando o sonho de Faraó acerca das sete vacas magras e as sete vacas gordas.

O pesquisador identificou moedas de muitos períodos diferentes, incluindo moedas que traziam marcações que as identificavam como sendo da era de José. Entre estas, havia uma moeda que possuía uma inscrição e uma imagem de uma vaca simbolizando o sonho acerca das sete vacas magras e as sete vacas gordas e as sete espigas cheias e sete espigas miúdas. Foi encontrado que as inscrições deste período antigo eram, geralmente, simples, uma vez que a escrita ainda estava em seus primórdios, e conseqüentemente, havia dificuldade para decifrar a escrita talhada por sobre estas moedas. Mas a equipe de pesquisa [conseguiu] traduzir [a escrita sobre a moeda] ao compará-la com os mais antigos hieróglifos conhecidos.

O nome de José aparece duas vezes sobre esta moeda, escrito em hieróglifo: uma vez o nome original, José, e uma vez seu nome egípcio, Saba Sabani, que lhe foi dado por Faraó quando este se tornou tesoureiro. Também há uma imagem de José, que fazia parte da administração egípcia daquela época.

O Dr. As’id Thabet pediu ao Conselho de Antiguidades do Egito e ao Ministro da Cultura para intensificar os esforços na área da história egípcia antiga e arqueologia, e a [promover] a pesquisa destas moedas que trazem o nome dos deuses e faraós egípcios. Isso, ele disse, seria capacitar a correção de conceitos errôneos correntes concernente à história do Egito antigo.

Fonte: MEMRI / A Supremacia das Escrituras / Genizah Virtual – via:Gospel Prime

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Compromisso com o " Dono do prego" ...




Um velho pastor de Haiti falou da necessidade de compromisso com Cristo assim. Ele contou a história de um homem que queria vender sua casa por $2,000.

Outro homem queria muito comprar aquela casa. Mas, sendo ele pobre não conseguia pagar o valor ao dono. Depois de muita negociação o dono da casa concordou em vender a casa pela metade do preço.

Ele só tinha uma ressalva: ele continuaria como dono de um pequeno prego cravado na parede em cima da porta da casa.

Depois de alguns anos, o dono original queria comprar sua casa de volta. Mas, o novo dono não concordava em vender. Então, o dono original saiu pela estrada, achou o cadáver de um cachorro e o pendurou na parede pelo prego que lhe pertencia.

Em pouco tempo, a casa ficou insuportável, e a família foi obrigada a vender a casa de volta ao dono original.

A conclusão do pastor Haitiano foi o seguinte: “Se nós deixamos o Diabo com apenas um pequeno prego nas nossas vidas, ele voltará e pendurará seu podre lixo lá, deixando as nossas vidas insuportáveis para Cristo habitar.”

Você tem um prego daqueles na sua vida? Há algum pecado ou hábito predileto que você ainda não entregou a Jesus?

Pode ter certeza, Satanás irá voltar. O dono daquele prego, daquele pecado ou hábito predileto irá aparecer, mais cedo ou mais tarde.

Ele vai usar aquela coisa pequena, aquele prego para estragar tudo que você quer tentar construir de bom. E, no final, ele vai levar tudo que você tem.


De quem é o prego que você tem sustentado na sua vida??

Para meditar:

E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
Rm 12,2


No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo


Pb.Altino G.Elerth

Apenas três andaram sobre as águas...

O primeiro foi Cristo.

O segundo foi Pedro.

O terceiro foi Ivangivaldo (esse cara da foto aí embaixo!)


Jesus está olhando...






Numa madrugada qualquer, um ladrão começa em silêncio a arrombar a porta dos fundos de uma casa. Logo no início, escuta uma voz sussurrando:

- Jesus tá te olhando!

O ladrão se assusta um pouco, olha para os lados (na penumbra) e não vê nada. Segue tentando arrombar a porta e escuta novamente a voz:

- Jesus tá te olhando!

Meio incrédulo, mas com a certeza de ter escutado a frase, olha novamente ao seu redor e nada. Quando reinicia sua "tarefa", ouve novamente a voz:

- Jesus tá te olhando!

Ele dessa vez percebe de onde vem a voz e acende a lanterna, iluminando um canto da "área de serviço". Nisso vê um papagaio em uma gaiola e já aliviado, pergunta:

- Ah... você é que é o Jesus?

E o papagaio responde:

- Não! Eu sou o Judas.

- Judas? E quem é o louco que bota o nome de Judas em um papagaio?

- O mesmo que botou o nome de Jesus no Rottweiler.

“A Marcha não carrega bandeira de instituição ou igreja”, afirma apóstolo Estevam...


Apóstolo, durante entrevista coletiva, diz que o principal gigante que a igreja cristã no Brasil deve derrotar é o da discriminação e dos estereótipos.


Durante a 17ª edição da Marcha para Jesus, o Apóstolo Estevam Hernandes, presidente nacional do evento, destacou que a celebração não carrega a bandeira de nenhuma instituição ou igreja. “Nessa edição, consolidamos mais uma vez aquilo que vem se manifestando ano a ano: a Marcha para Jesus crescendo, se desenvolvendo e mostrando conseqüentemente o crescimento daqueles que acreditam em Cristo nesta nação”, disse.

Segundo ele, a maciça adesão das igrejas colaborou para o grande volume de pessoas nas ruas. “A Marcha tem sido um fator de agregação. Estamos satisfeitos e agradecidos a Deus, porque a Marcha não carrega a bandeira de nenhuma igreja ou de uma organização específica. A visão da Marcha é exatamente a de congregar todas as igrejas para que possamos exaltar o nome do Senhor Jesus.” Ele aproveitou para agradecer aos voluntários, organizadores e igrejas que colaboraram para a realização do maior evento cristão do mundo.

Neste ano, o público evangélico marchou apoiado pela Lei Federal N° 12.025, assinada pelo presidente Luiz Inácio da Silva, em agosto último. “Esse é um ano especial. A Marcha para Jesus agora é lei e entrou para o calendário oficial da nação e acontecerá todo ano 90 dias após a Páscoa”, comemora.

Segundo ele, o evento de 2009 teve público recorde, sem nenhuma ocorrência e pode ter chegado a 5 milhões de pessoas. “Trata-se de uma caminhada de paz que acolhe qualquer credo, seja católico, espírita ou mulçumano com cunho social de fé”, afirma.

Sobre o tema da Marcha “Derrotando Gigantes”, o Apóstolo comentou sobre o principal gigante que a igreja cristã brasileira deve derrotar: o da discriminação e dos estereótipos. “Temos uma herança de discriminação”, contou ele, referindo-se a um passado de perseguições que a igreja sofreu no país. “Meu pastor foi apedrejado e queimaram a Bíblia dele. Quando era criança, o folclore que corria era que os meninos evangélicos não podiam tirar o sapato porque tinham a unha fendida”, relembrou referindo-se a outras formas de discriminação que o povo evangélico ainda sofre nestes dias.

Em uma das últimas perguntas, os jornalistas quiseram saber sobre sua sensação ao ver uma tão grande multidão depois de tanto tempo fora do país. “As emoções se misturaram e não deu para segurar as lágrimas ao ver manifestações de apoio. Nossa vida sempre foi voltada para o ministério e somos gratos por nossa família espiritual”, revela.

Comunicação Renascer

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O diabo são os outros...





Se os personagens não forem evangélicos, provavelmente a culpa é:


1. de Deus
2. da religião
3. do cristianismo
4. do governo
5. do capitalismo
6. da falta de educação
7. dos criacionistas
8. dos Estados Unidos
9. da poluição ambiental
10.do fundamentalismo
...



Mas se os personagens forem evangélicos, provavelmente a culpa é:


1. do Diabo
2. de Adão
3. da Globo
4. da vítima
5. da apostasia
6. do comunismo
7. do Movimento LGBT (ex-GLS, ex-GLBT...)
8. da Igreja Católica Romana
9. do ecumenismo
10.das outras igrejas
11.da Disney
12.da Hello Kitty
13.do Fofão
14.da Xuxa
15.de Ivete Sangalo
16.dos ateus
17.do mundo
18.do Anticristo
19.das traduções bíblicas da Sociedade Bíblica do Brasil que não são baseadas no Texto Receptus
20.dos darwinistas
21.do liberalismo religioso
22.dos partidos de esquerda
23.dos sinais dos tempos
24.das mensagens subliminares
25.da macumba
26.das oferendas a Iemanjá que estavam no mar
27.da internet
28.da ascensão da União Européia
29.da carne
30.de haver tocado num ungido
31.dos judeus
32.do Império Romano
33.do Pikachu
34.do rock and roll
35.da maionese Hellmann's
36.do suco Ades
37.da Coca-Cola
38.da Argentina
...



... E a atitude "correta" a ser tomada seria maquiar a nossa inércia e empurrar nossa preguiça para debaixo do tapete da falsa espiritualidade com a expressão mestra da fé sem obras: "vamos orar!"

No Amor de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo...

sábado, 31 de outubro de 2009

Batismo por aspersão...

Chavões dificeis de suportar... parte 2




1. Hoje eu deixo de ser crente se Deus não operar um milagre (Por favor, deixe mesmo!).

2. Meus irmãos, estas igrejas que usam rosas ungidas, sal grosso para descarrego, etc., não são de Deus!....Ao final do culto tragam seus documetos, carteira de trabalho, chave de casa e do carro para ungirmos, pois aqui a coisa é diferente, Deus opera!

3. Não diga isso. As palavras têm poder!!

4. Incendeia tua noiva, Senhor.

5. Seja um adorador extravagante!

6. Fui chamado para ser um levita na casa do Senhor. Posso cantar na sua igreja e vender meus CDs?

7. Não podemos fazer da igreja um clube.

8. Sendo dizimista, você pode colocar Deus contra a parede.

9. Meus irmãos, é hora de mudar o Brasil.

10. Quem tem um caroço em qualquer lugar do corpo, levante a mão que Jesus vai curar agora.

11. A Rede Globo conspira contra a igreja.

12. Quanto mais glória você manda pra cima, mais glória Deus manda pra baixo.

13. Não dá o dízimo na casa de Deus, mas acaba "dando" na farmácia (Hum, não sei não!)

14. Você que não dá o dízimo não tem moral pra exigir nada de Deus.

15. Vamos pisar na cabeça do diabo; o Diabo só conhece o número do meu sapato.

16. Quando o crente ora, deve esperar retaliação do Diabo.

17. Sabe qual o nosso problema? O mundo está entrando na igreja.

18.Eu soube que o Anticristo já nasceu e está se preparando para aparecer.

19. Eu soube de um pastor que encontrou uns feiticeiros que estavam jejuando para fazer os pastores caírem.

20. O Rei Leão da Disney é gay!

21. Minha irmã, você precisa da nossa cobertura! (essa é quase pornográfica).

22. Não esqueça de enviar os boletos bancários que eu prometo subir o monte nesta madrugada e interceder por sua vida.

23. Não fique triste com a morte do seu filho (ou com seu divórcio, ou com sei lá o quê). Tudo tem um propósito e Deus sabe o que faz.

24. Irmãos, hoje o Senhor falou comigo pela manhã para trazer esta palavra.

Creditos: Ricardo Gondin

Hoje 31/10 é o Dia da Reforma Protestante


Hoje, 31 de outubro, é o Dia da Reforma Protestante. Apesar de o mundo tentar apagar esta data trocando pelo dia das bruxas, muitos evangélicos ainda se lembram e celebram este dia que foi um marco na história mundial. Conheça mais sobre a história de Martim Lutero (foto) e o dia em que ele desafiou a Igreja Católica com as suas 95 teses.

A Reforma protestante foi um movimento iniciado pelo monge agostiniano Martim Lutero, professor de Bíblia da Universidade de Wittenberg, propondo uma reforma na sua Igreja Católica, por causa dos desvios doutrinais das Escrituras Sagradas – da qual a interpretação deveria ser livre – que ele entendia ter autoridade sobre a Igreja e nunca o contrário. A situação foi enfrentada com descaso e a confiança de que a instituição de vários séculos não teria sua influência posta em dúvida e nem sofreria abalo.

Época de mudança nem sempre é percebida por todos. Há 500 anos ou hoje. Ou se percebe e se decide enfrentá-la pela força, como reafirmação do poder baseado no paradigma superado. A tendência é a mente constranger a pluralidade à unidade, para coagir a realidade a adaptar-se à sua racionalidade, explicou o teólogo Raimon Panikkar. Centros de poder relutam em admitir que germes de mudanças surjam na periferia do mundo, de filhos de camponeses e trabalhadores urbanos, e nem que suas propostas teológicas tenham consistência e, ainda menos, que conquistem corações e mentes mundo afora.

Hans Luther fez esforços financeiros para enviar seu filho para escolas em Mansfeld, Magdeburg e Eisenach. Aos dezessete anos, Martim Lutero ingressou na Universidade de Erfurt, tornou-se bacharel em 1502 e concluiu o mestrado em 1505, como o segundo aluno da turma. Atendendo o desejo do pai, inscreveu-se na escola de Direito da mesma Universidade. Mas, após uma grande tempestade com trovões e um raio que caiu próximo do caminho por onde passava, gritou “Ajuda-me, Sant’Ana! E eu me tornarei um monge!” Deixou a faculdade, vendeu seus livros e entrou para a ordem dos Agostinianos.

Lutero dedicou-se ao mosteiro e à ordem, empenhou-se em fazer boas obras para agradar a Deus e servir ao próximo, orando por suas almas. Dedicou-se intensamente à meditação, às autoflagelações, às orações diárias, às peregrinações e às confissões. Mas, quanto mais se esforçava, mais se sentia tomado pela culpa. Seu superior, Johann von Staupitz, decidiu que o jovem precisava de mais trabalho e de contato com a Sagrada Escritura, ordenando que ele iniciasse a carreira acadêmica. Em 1507, Lutero foi ordenado sacerdote, no ano seguinte começou a lecionar Teologia na Universidade de Wittenberg e visitou Roma dois anos depois, a serviço da ordem.

Em outubro de 1512, Lutero recebeu o título de Doutor em Teologia e foi recebido no Senado da Faculdade Teológica com o título de Doutor em Bíblia. Em 1515 foi nomeado vigário de sua ordem, com autoridade sobre onze monastérios. Nesse período, recebeu formação humanista e estudou grego e hebraico, se aprofundou na origem e no significado das palavras das Escrituras, buscadas ad fontes e que veio a utilizar na sua tradução da Bíblia.

Convencido de haver uma distorção no ensino da doutrina da Justificação pela fé, passou a ensinar que a Salvação era concedida por Deus, apenas por sua graça (sola Gratia), a partir da fé (sola Fides) em Jesus Cristo (solus Christus), conforme anunciado pelas Escrituras Sagradas (sola Scriptura). Além das atividades como professor, Lutero atuava como confessor na igreja de Santa Maria e como pregador na igreja do Castelo (Schlosskirche), chamada de Todos os Santos por causa da coleção de relíquias, mantidas pelo Príncipe Frederico, o sábio. Arguto, o jovem teólogo e sacerdote percebeu como os fiéis eram transformados em fregueses, pela venda de indulgências, e por isso escreveu suas 95 teses.

No debate com Johann Eck, em Leipzig (1519), Lutero negou que o Papa tivesse o poder das chaves, a autoridade exclusiva de perdoar pecados, um poder outorgado à Igreja como comunidade da fé. Negou que a salvação fosse exclusiva da Igreja ocidental sob a autoridade do Papa, mas que também existia na Igreja Ortodoxa, oriental. Os debates (disputatio) teológicos propiciavam a difusão das idéias. Da mesma forma os tipos móveis inventados por Gutenberg, para impressão de textos, possibilitaram a ampla circulação dos escritos de Lutero, que alcançaram Holanda, França, Inglaterra e Itália.

Essa publicidade chamou a atenção dos estudantes de teologia, que dirigiam-se a Wittenberg para escutar as preleções de Lutero, que provocavam debates. As controvérsias geradas pelos escritos e debates levaram Lutero a desenvolver sua doutrina do sacramento e da Eucaristia, especialmente através dos seus sermões, também publicados.

Os seus textos mais conhecidos por seu impacto surgiram em 1520: Sobre o Papado em Roma, desenvolvendo o conceito luterano de igreja; o Sermão das Boas Obras, é contrário à doutrina católica das boas obras e dos atos como meio de perdão, mantendo que as obras do crente resultam da salvação e não são meios para conquistá-la, disputa que possibilitou o contato com humanistas como Melanchthon, Reuchlin e Erasmo de Roterdã; À Nobreza Cristã da Nação Alemã” (1520), neutralizando a noção de estamento espiritual (Geystlich Stand), recomendando os cristãos leigos como dignos do mesmo respeito destinado aos sacerdotes e criticando privilégios mundanos do sistema; o Cativeiro Babilônico da Igreja, afirmando a presença real do corpo e do sangue do Cristo na eucaristia, a justificação no batismo – combinado com a fé salvadora no receber – e a penitência como palavra de promessa de desculpas recebidas com fé; e Da Liberdade cristã, afirmando que pela fé o cristão é senhor soberano e em nada sujeito a ninguém, e pelo amor, é servo de todos.

Diante da ameaça de excomunhão, Lutero enviou seu escrito Da Liberdade cristã, com a frase Eu não me submeto a leis ao interpretar a palavra de Deus. Queimou a bula em público e o Papa Leão X o excomungou em 1521, com a bula Decet Romanum Pontificem. A execução da proibição foi evitada pela relação do Papa com o príncipe Frederico, da Saxônia, e pelo novo imperador, Carlos V, do Sacro Império Romano Germânico. A paz foi selada 482 depois com uma Declaração Conjunta em 1999.

95 teses

As 95 teses fixadas na porta da Igreja do Castelo (Schlosskirche) são um libelo contra o sistema de perdão parcial ou total do castigo temporal pelos pecados. A indulgência era um documento que assegurava a remissão do castigo imposto a uma pessoa por causa dos seus pecados. Qualquer pessoa poderia adquirir esse documento que assegura a indulgência, para si mesmo e até para um parente já morto que estivesse no Purgatório.

A noção presente nas indulgências é que a Igreja era a responsável pela guarda do tesouro das boas obras praticadas pelos cristãos, a ela ligados. No raciocínio jurídico teológico, ela tinha a autoridade para administrar essa riqueza espiritual, através da qual os pecadores poderiam ser resgatados. A troca se estabelecia através do pagamento de um valor estabelecido, pelo qual o fiel recebia um documento assegurando a salvação dele ou de seu parente. Essa noção se torna mais que chocante, até mesmo ofensiva para Lutero, em razão de toda a teologia que aprendeu e viveu em sua formação agostiniana. Era um abuso que precisava ser corrigido. Por isso a redação de suas teses, debatidas com seus alunos, e divulgadas na porta da Igreja do Castelo, em razão das missas dos dias 1º e 2 de novembro, freqüentadas pelo alto clero e a nobreza.

O frade dominicano Johann Tetzel fora recrutado para viajar através dos territórios episcopais do arcebispo Alberto de Mogúncia, promovendo e vendendo indulgências, com o objetivo de financiar as reformas da Basílica de São Pedro, em Roma. Lutero viu esta estratégia das indulgências como um tráfico e um abuso que poderia confundir as pessoas e levá-las a confiar apenas nas indulgências, deixando de lado a confissão e o arrependimento verdadeiros. Proferiu, então, três sermões contra as indulgências em 1516 e 1517, assumindo a ênfase expressa na tese número 62: o verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo evangelho da glória e da graça de nosso Senhor Jesus Cristo.

O texto fixado na porta da Igreja do Castelo era um convite aberto ao debate dessas teses que condenavam a avareza e o paganismo na Igreja como um abuso, e pediam um debate teológico sobre o que as Indulgências significavam. O documento não inflama as populações contra as autoridades, mas indaga a postura da Igreja que se dispõe a usar este recurso. Elas foram traduzidas para o alemão e, amplamente copiadas e impressas, tinham sido espalhadas em 15 dias por toda a Alemanha e, em dois meses, por toda a Europa. Este foi o primeiro episódio da História em que a imprensa teve papel fundamental, com a simples distribuição de um documento.

Leia abaixo as 95 teses:

1 Ao dizer: “Fazei penitência”, etc. [Mt 4.17], o nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo quis que toda a vida dos fiéis fosse penitência.
2 Esta penitência não pode ser entendida como penitência sacramental (isto é, da confissão e satisfação celebrada pelo ministério dos sacerdotes).
3 No entanto, ela não se refere apenas a uma penitência interior; sim, a penitência interior seria nula, se, externamente, não produzisse toda sorte de mortificação da carne.
4 Por conseqüência, a pena perdura enquanto persiste o ódio de si mesmo (isto é a verdadeira penitência interior), ou seja, até a entrada do reino dos céus.
5 O papa não quer nem pode dispensar de quaisquer penas senão daquelas que impôs por decisão própria ou dos cânones.
6 O papa não pode remitir culpa alguma senão declarando e confirmando que ela foi perdoada por Deus, ou, sem dúvida, remitindo-a nos casos reservados para si; se estes forem desprezados, a culpa permanecerá por inteiro.
7 Deus não perdoa a culpa de qualquer pessoa sem, ao mesmo tempo, sujeitá-la, em tudo humilhada, ao sacerdote, seu vigário.
8 Os cânones penitenciais são impostos apenas aos vivos; segundo os mesmos cânones, nada deve ser imposto aos moribundos.
9 Por isso, o Espírito Santo nos beneficia através do papa quando este, em seus decretos, sempre exclui a circunstância da morte e da necessidade.
10 Agem mal e sem conhecimento de causa aqueles sacerdotes que reservam aos moribundos penitências canônicas para o purgatório.
11 Essa erva daninha de transformar a pena canônica em pena do purgatório parece ter sido semeada enquanto os bispos certamente dormiam.
12 Antigamente se impunham as penas canônicas não depois, mas antes da absolvição, como verificação da verdadeira contrição.
13 Através da morte, os moribundos pagam tudo e já estão mortos para as leis canônicas, tendo, por direito, isenção das mesmas.
14 Saúde ou amor imperfeito no moribundo necessariamente traz consigo grande temor, e tanto mais, quanto menor for o amor.
15 Este temor e horror por si sós já bastam (para não falar de outras coisas) para produzir a pena do purgatório, uma vez que estão próximos do horror do desespero.
16 Inferno, purgatório e céu parecem diferir da mesma forma que o desespero, o semidesespero e a segurança.
17 Parece desnecessário, para as almas no purgatório, que o horror diminua na medida em que cresce o amor.
18 Parece não ter sido provado, nem por meio de argumentos racionais nem da Escritura, que elas se encontram fora do estado de mérito ou de crescimento no amor.
19 Também parece não ter sido provado que as almas no purgatório estejam certas de sua bem-aventurança, ao menos não todas, mesmo que nós, de nossa parte, tenhamos plena certeza.
20 Portanto, sob remissão plena de todas as penas, o papa não entende simplesmente todas, mas somente aquelas que ele mesmo impôs.
21 Erram, portanto, os pregadores de indulgências que afirmam que a pessoa é absolvida de toda pena e salva pelas indulgências do papa.
22 Com efeito, ele não dispensa as almas no purgatório de uma única pena que, segundo os cânones, elas deveriam ter pago nesta vida.
23 Se é que se pode dar algum perdão de todas as penas a alguém, ele, certamente, só é dado aos mais perfeitos, isto é, pouquíssimos.
24 Por isso, a maior parte do povo está sendo necessariamente ludibriada por essa magnífica e indistinta promessa de absolvição da pena.
25 O mesmo poder que o papa tem sobre o purgatório de modo geral, qualquer bispo e cura tem em sua diocese e paróquia em particular.
26 O papa faz muito bem ao dar remissão às almas não pelo poder das chaves (que ele não tem), mas por meio de intercessão.
27 Pregam doutrina humana os que dizem que, tão logo tilintar a moeda lançada na caixa, a alma sairá voando [do purgatório para o céu].
28 Certo é que, ao tilintar a moeda na caixa, podem aumentar o lucro e a cobiça; a intercessão da Igreja, porém, depende apenas da vontade de Deus.
29 E quem é que sabe se todas as almas no purgatório querem ser resgatadas? Dizem que este não foi o caso com S. Severino e S. Pascoal.
30 Ninguém tem certeza da veracidade de sua contrição, muito menos de haver conseguido plena remissão.
31 Tão raro como quem é penitente de verdade é quem adquire autenticamente as indulgências, ou seja, é raríssimo.
32 Serão condenados em eternidade, juntamente com seus mestres, aqueles que se julgam seguros de sua salvação através de carta de indulgência.
33 Deve-se ter muita cautela com aqueles que dizem serem as indulgências do papa aquela inestimável dádiva de Deus através da qual a pessoa é reconciliada com Deus.
34 Pois aquelas graças das indulgências se referem somente às penas de satisfação sacramental, determinadas por seres humanos.
35 Não pregam cristãmente os que ensinam não ser necessária a contrição àqueles que querem resgatar ou adquirir breves confessionais.
36 Qualquer cristão verdadeiramente arrependido tem direito à remissão pela de pena e culpa, mesmo sem carta de indulgência.
37 Qualquer cristão verdadeiro, seja vivo, seja morto, tem participação em todos os bens de Cristo e da Igreja, por dádiva de Deus, mesmo sem carta de indulgência.
38 Mesmo assim, a remissão e participação do papa de forma alguma devem ser desprezadas, porque (como disse) constituem declaração do perdão divino.
39 Até mesmo para os mais doutos teólogos é dificílimo exaltar perante o povo ao mesmo tempo, a liberdade das indulgências e a verdadeira contrição.
40 A verdadeira contrição procura e ama as penas, ao passo que a abundância das indulgências as afrouxa e faz odiá-las, pelo menos dando ocasião para tanto.
41 Deve-se pregar com muita cautela sobre as indulgências apostólicas, para que o povo não as julgue erroneamente como preferíveis às demais boas obras do amor.
42 Deve-se ensinar aos cristãos que não é pensamento do papa que a compra de indulgências possa, de alguma forma, ser comparada com as obras de misericórdia.
43 Deve-se ensinar aos cristãos que, dando ao pobre ou emprestando ao necessitado, procedem melhor do que se comprassem indulgências.
44 Ocorre que através da obra de amor cresce o amor e a pessoa se torna melhor, ao passo que com as indulgências ela não se torna melhor, mas apenas mais livre da pena.
45 Deve-se ensinar aos cristãos que quem vê um carente e o negligencia para gastar com indulgências obtém para si não as indulgências do papa, mas a ira de Deus.
46 Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem bens em abundância, devem conservar o que é necessário para sua casa e de forma alguma desperdiçar dinheiro com indulgência.
47 Deve-se ensinar aos cristãos que a compra de indulgências é livre e não constitui obrigação.
48 Deve-se ensinar aos cristãos que, ao conceder indulgências, o papa, assim como mais necessita, da mesma forma mais deseja uma oração devota a seu favor do que o dinheiro que se está pronto a pagar.
49 Deve-se ensinar aos cristãos que as indulgências do papa são úteis se não depositam sua confiança nelas, porém, extremamente prejudiciais se perdem o temor de Deus por causa delas.
50 Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa soubesse das exações dos pregadores de indulgências, preferiria reduzir a cinzas a Basílica de S. Pedro a edificá-la com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.
51 Deve-se ensinar aos cristãos que o papa estaria disposto – como é seu dever – a dar do seu dinheiro àqueles muitos de quem alguns pregadores de indulgências extraem ardilosamente o dinheiro, mesmo que para isto fosse necessário vender a Basílica de S. Pedro.
52 Vã é a confiança na salvação por meio de cartas de indulgências, mesmo que o comissário ou até mesmo o próprio papa desse sua alma como garantia pelas mesmas.
53 São inimigos de Cristo e do papa aqueles que, por causa da pregação de indulgências, fazem calar por inteiro a palavra de Deus nas demais igrejas.
54 Ofende-se a palavra de Deus quando, em um mesmo sermão, se dedica tanto ou mais tempo às indulgências do que a ela.
55 A atitude do papa é necessariamente esta: se as indulgências (que são o menos importante) são celebradas com um toque de sino, uma procissão e uma cerimônia, o Evangelho (que é o mais importante) deve ser anunciado com uma centena de sinos, procissões e cerimônias.
56 Os tesouros da Igreja, dos quais o papa concede as indulgências, não são suficientemente mencionados nem conhecidos entre o povo de Cristo.
57 É evidente que eles, certamente, não são de natureza temporal, visto que muitos pregadores não os distribuem tão facilmente, mas apenas os ajuntam.
58 Eles tampouco são os méritos de Cristo e dos santos, pois estes sempre operam, sem o papa, a graça do ser humano interior e a cruz, a morte e o inferno do ser humano exterior.
59 S. Lourenço disse que os pobres da Igreja são os tesouros da mesma, empregando, no entanto, a palavra como era usada em sua época.
60 É sem temeridade que dizemos que as chaves da Igreja, que lhe foram proporcionadas pelo mérito de Cristo, constituem este tesouro.
61 Pois está claro que, para a remissão das penas e dos casos, o poder do papa por si só é suficiente.
62 O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.
63 Este tesouro, entretanto, é o mais odiado, e com razão, porque faz com que os primeiros sejam os últimos.
64 Em contrapartida, o tesouro das indulgências é o mais benquisto, e com razão, pois faz dos últimos os primeiros.
65 Por esta razão, os tesouros do Evangelho são as redes com que outrora se pescavam homens possuidores de riquezas.
66 Os tesouros das indulgências, por sua vez, são as redes com que hoje se pesca a riqueza dos homens.
67 As indulgências apregoadas pelos seus vendedores como as maiores graças realmente podem ser entendidas como tal, na medida em que dão boa renda.
68 Entretanto, na verdade, elas são as graças mais ínfimas em comparação com a graça de Deus e a piedade na cruz.
69 Os bispos e curas têm a obrigação de admitir com toda a reverência os comissários de indulgências apostólicas.
70 Têm, porém, a obrigação ainda maior de observar com os dois olhos e atentar com ambos os ouvidos para que esses comissários não preguem os seus próprios sonhos em lugar do que lhes foi incumbido pelo papa.
71 Seja excomungado e maldito quem falar contra a verdade das indulgências apostólicas.
72 Seja bendito, porém, quem ficar alerta contra a devassidão e licenciosidade das palavras de um pregador de indulgências.
73 Assim como o papa, com razão, fulmina aqueles que, de qualquer forma, procuram defraudar o comércio de indulgências,
74 muito mais deseja fulminar aqueles que, a pretexto das indulgências, procuram defraudar a santa caridade e verdade.
75 A opinião de que as indulgências papais são tão eficazes ao ponto de poderem absolver um homem mesmo que tivesse violentado a mãe de Deus, caso isso fosse possível, é loucura.
76 Afirmamos, pelo contrário, que as indulgências papais não podem anular sequer o menor dos pecados veniais no que se refere à sua culpa.
77 A afirmação de que nem mesmo S. Pedro, caso fosse o papa atualmente, poderia conceder maiores graças é blasfêmia contra São Pedro e o papa.
78 Afirmamos, ao contrário, que também este, assim como qualquer papa, tem graças maiores, quais sejam, o Evangelho, os poderes, os dons de curar, etc., como está escrito em 1 Co 12.
79 É blasfêmia dizer que a cruz com as armas do papa, insignemente erguida, equivale à cruz de Cristo.
80 Terão que prestar contas os bispos, curas e teólogos que permitem que semelhantes conversas sejam difundidas entre o povo.
81 Essa licenciosa pregação de indulgências faz com que não seja fácil, nem para os homens doutos, defender a dignidade do papa contra calúnias ou perguntas, sem dúvida argutas, dos leigos.
82 Por exemplo: por que o papa não evacua o purgatório por causa do santíssimo amor e da extrema necessidade das almas – o que seria a mais justa de todas as causas -, se redime um número infinito de almas por causa do funestíssimo dinheiro para a construção da basílica – que é uma causa tão insignificante?
83 Do mesmo modo: por que se mantêm as exéquias e os aniversários dos falecidos e por que ele não restitui ou permite que se recebam de volta as doações efetuadas em favor deles, visto que já não é justo orar pelos redimidos?
84 Do mesmo modo: que nova piedade de Deus e do papa é essa: por causa do dinheiro, permitem ao ímpio e inimigo redimir uma alma piedosa e amiga de Deus, porém não a redimem por causa da necessidade da mesma alma piedosa e dileta, por amor gratuito?
85 Do mesmo modo: por que os cânones penitenciais – de fato e por desuso já há muito revogados e mortos – ainda assim são redimidos com dinheiro, pela concessão de indulgências, como se ainda estivessem em pleno vigor?
86 Do mesmo modo: por que o papa, cuja fortuna hoje é maior do que a dos mais ricos Crassos, não constrói com seu próprio dinheiro ao menos esta uma basílica de São Pedro, ao invés de fazê-lo com o dinheiro dos pobres fiéis?
87 Do mesmo modo: o que é que o papa perdoa e concede àqueles que, pela contrição perfeita, têm direito à remissão e participação plenária?
88 Do mesmo modo: que benefício maior se poderia proporcionar à Igreja do que se o papa, assim como agora o faz uma vez, da mesma forma concedesse essas remissões e participações 100 vezes ao dia a qualquer dos fiéis?
89 Já que, com as indulgências, o papa procura mais a salvação das almas do o dinheiro, por que suspende as cartas e indulgências outrora já concedidas, se são igualmente eficazes?
90 Reprimir esses argumentos muito perspicazes dos leigos somente pela força, sem refutá-los apresentando razões, significa expor a Igreja e o papa à zombaria dos inimigos e desgraçar os cristãos.
91 Se, portanto, as indulgências fossem pregadas em conformidade com o espírito e a opinião do papa, todas essas objeções poderiam ser facilmente respondidas e nem mesmo teriam surgido.
92 Fora, pois, com todos esses profetas que dizem ao povo de Cristo: “Paz, paz!” sem que haja paz!
93 Que prosperem todos os profetas que dizem ao povo de Cristo: “Cruz! Cruz!” sem que haja cruz!
94 Devem-se exortar os cristãos a que se esforcem por seguir a Cristo, seu cabeça, através das penas, da morte e do inferno;
95 e, assim, a que confiem que entrarão no céu antes através de muitas tribulações do que pela segurança da paz.


Declaração Conjunta – mais semelhanças que diferenças

A Declaração Conjunta sobre a Justificação (DC), assinada entre católicos e luteranos em 31 de outubro de 1999, começou com o trabalho da Comissão Mista Internacional Católico-Romana e Evangélico-Luterana, realizado desde 1972. No Brasil esse documento chegou para ser debatido num Seminário realizado em Porto Alegre (RS) em 1996, em resposta a uma consulta do Vaticano e da Federação Luterana Mundial (FLM), com objetivo de alcançar consenso em nível internacional. As conferências, debates e o texto da DC foram debatidos em clima de oração e de escuta.

O texto foi saudado com alegria pelo Cardeal Lorscheider. “Chegados a um consentimento sobre a doutrina da justificação, católicos e luteranos poderão dar-se as mãos. Ulteriores questões concernentes à Igreja, aos sacramentos, de modo particular à eucaristia e ao ministério ordenado, poderão ter solução mais fácil e até mais rápida”. Marcado pela dualidade, o cristão, “mesmo fundamentalmente inserido em Cristo, encontra-se todavia afetado pelo pecado. É ao mesmo tempo justo e pecador (simul iustus et peccator), como a Igreja é ao mesmo tempo santa e pecadora (sancta simul et semper purificanda – povo santo e pecador!)

O pastor Gottfried Brakemeier, à época presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e da FLM, informou que a Comissão Mista reuniu-se duas vezes na Alemanha para revisar o texto e submetê-lo à aprovação. Para a Comissão, à primeira vista as divergências pareciam irreconciliáveis, especialmente por terem resultado nas condenações recíprocas, contidas nos decretos do Concílio de Trento, cujas atas só foram tornadas públicas na segunda metade do século passado, e no Livro de Concórdia, que reúne as confissões luteranas da época.

Importante avanço foi o Concílio Vaticano II ter reconhecido “sinais de santificação e verdade também fora do âmbito da Igreja Católica Romana, já não mais permitindo a condenação sumária de membros de outras Igrejas. Analogamente as Igrejas Luteranas jamais negaram haver pregação pura do evangelho e administração correta dos sacramentos também na Igreja Católica, critérios estes que segundo a Confissão de Augsburgo identificam a verdadeira Igreja de Jesus Cristo”.

O consenso alcançado na DC é um exemplo de unidade na diversidade reconciliada. Ecumenismo sério sempre significa aprendizado. Isso nos dá parâmetros e limites: avanço ecumênico na confissão de fé comum sabe que a unidade em Cristo é anterior às divisões dos cristãos. Sem essa consciência não somos capazes de vencer barreiras de separação. “Portanto ecumenismo não produz a unidade. Cabe-lhe apenas tornar visível a unidade que em Cristo já nos foi dada. Todo o esforço ecumênico entre as Igrejas parte desse consenso fundamental”.

Lutero ainda provoca debates

O jornalista e escritor espanhol Jesús Bastante Liébana concedeu entrevista no lançamento de seu livro Cisma, durante a qual afirmou que “o Papa poderia reabilitar Lutero”, lembrando que Bento XVI “já concebeu a possibilidade de reabilitar Lutero” e inclusive a de realizar “uma viagem imediata, possivelmente nesta primavera, à Saxônia”, região da Alemanha onde Lutero pregou suas teses e traduziu o Novo Testamento ao alemão.

Liébana afirmou que católicos e protestantes “unem-se em muito mais coisas do que as que os separam”, circunstância que o Papa “conhece muito bem”. Observando que “não se deve esquecer que ele é alemão e, na Alemanha, pátria de Lutero, evangélicos e católicos convivem em um plano de igualdade numérica e jurídica”, acrescentou.

Cisma é um romance histórico, publicado pelas Ediciones B, narrando o cisma protestante, uma época apaixonante da história, declara o autor. Liébana considera que Lutero e o cisma protestante” são absolutamente desconhecidos para o público”, apesar de que, lembrou ele, nos primeiros momentos da Reforma, o imperador Carlos V e o Papa Adriano VI foram “duas figuras relevantes de Castilla, e imprescindíveis”.

“Trata-se de uma época apaixonante da História e, ao mesmo tempo, cheia de simplificações, fruto do desconhecimento”, observa Liébana, assumindo que Lutero “era um iluminado, um personagem estranho e com profundas mudanças de humor e personalidade”. “Com certeza, não foi um herege, mas um reformador: ele não queria romper com a Igreja, mas sim reformar o que considerava como abusos”, considerando que Lutero não quis criar uma religião fora da Igreja Católica, mas “os acontecimentos e a soberba pessoal o levaram a promover o cisma”.

Talvez fosse possível frear o cisma, já que as denúncias de Lutero “eram compartilhadas por boa parte da Igreja”. Por outro lado, Liébana mostrou-se convencido de que, após a leitura do romance, “muitos católicos considerarão que Lutero estava certo em muitas de suas reivindicações, e os protestantes, que a ruptura com Roma foi desnecessária e fruto de manobras políticas, não espirituais”. E ponderou: “o que me parece fundamental é que se veja que, 500 anos depois, católicos e protestantes compartilham a mesma fé, vivem na mesma cultura e têm concepções exatas sobre a sociedade e o diálogo fé e razão”.

“Foi um verdadeiro prazer escrever esse romance e tentar unir a precisão histórica com a trama literária”, concluiu.

Fonte: Site da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil-via Folha Gospel